AO PASTOR SILAS MALAFAIA: DE UMA ILUSTRE DESCONHECIDA

Amados no Senhor,leiam este texto na íntegra,é de uma importância única para o melhor entendimento sobre o Silas Malafaia,suas heresias e arrogância.
Mário

Por Mikaella Campos

Realmente, eu não sou ninguém. Sou apenas uma jovem mulher de 28 anos, casada, que trabalha, cuida da casa e do marido e ainda dedica parte do tempo à leitura da Palavra de Deus e à adoração àquele que tudo fez. Nunca assumi uma igreja. Nunca tive os holofotes sobre mim. Realmente, eu não sou ninguém. O que me faz sentir algo é a presença inimaginável do Espírito Santo. Esse habita em mim, move-me, ensina-me a pensar e a identificar por meio das Escrituras algo que está longe de ser a pregação do evangelho. É essa presença em mim que me faz ser alguém. Alguém com autoridade para refutar falsas doutrinas. É o Espírito Santo que tem transformado o meu caráter e me feito pensar quanto que tenho que melhorar para chegar aos pés da sabedoria e da santidade de Jesus Cristo.

Se a minha vida como cristã é ser imitadora de Jesus (Efésios 5.1, Hebreu 6.12, I Coríntios 11.1), ao contrário do que o senhor diz, eu, a ilustre desconhecida, tenho autoridade dada por Jesus para usar o lado questionador, crítico, impetuoso, revolucionário de Cristo. Não sei se o senhor já leu a Bíblia, mas no Novo Testamento, podem-se encontrar momentos em que Jesus enfrentava os líderes religiosos da época. Esse pessoal era recheado de hipocrisia, mentiras. Diziam-se santos, mas não passavam de tartufos, que se cobriam com capas religiosas viciadas de corrupção.

Os fariseus de hoje são os nossos líderes religiosos, que podemos chamar de povo pseudo-evangélico. Grupo, no qual, o senhor participa e não faz questão de mostrar humildade. São pastores dominados pela arrogância assim como os hipócritas do passado. Como serva de Cristo tenho o direito de não ser simpática a falsas doutrinas e a comportamentos infantis e egocêntricos na pregação da mensagem de Deus. Jesus raramente era cordial com as falsas autoridades religiosas. Eu também tenho o direito de não ser.

Primeiro questionamento


Para começar a questionar a sua carta, digo que a internet hoje tem desempenhado um importante papel na pregação de um evangelho longe das teorias humanas que sempre rondaram às igrejas. Ao contrário dos pensamentos ditatoriais de alguns pastores como o senhor, a internet é um lugar onde as pessoas têm encontrado espaço para questionar esse evangelho raso, de fundo de quintal, que tem sido anunciado por aí. Durante muito tempo, pastores como o senhor faziam de tudo para deixar o povo cego e ignorante à verdadeira mensagem do evangelho. Mas graças ao bom Jesus Cristo, pela internet, têm se levantado pessoas capazes de confrontar mentirosos e de apontar os erros teológicos, doutrinários que estão levando muitas almas para o inferno.

E o seu argumento quanto aos críticos não passa de uma mensagem infantilizada e sem qualquer fundamento bíblico. Ser contrário a uma mensagem recheada de inverdades não significa ter inveja. Na verdade, mostra como o povo cristão tem adquirido um conhecimento divino para lutar contra falsas doutrinas. E quando o senhor chama os críticos de invejosos, pessoas frustradas, recalcadas, a sensação que tenho é que o senhor não conseguiu ainda provar biblicamente que está certo, que tem respaldo de Deus para ser uma “voz profética”.

Quanto ao ódio que o senhor diz que os críticos têm podemos ver esse sentimento estampado, na verdade, na sua face, nas suas palavras. Porque, se houvesse amor nas suas mensagens, os cristãos que estão indo contra o senhor, pastor Malafaia, não se sentiriam tratados com hostilidade.

O mesmo texto que citou de Mateus 7.1 (“não julgueis, para que não sejais julgados”, e Lucas 6:38b “porque com a mesma medida que medirdes, também vos medirão de novo”), deixo para o senhor. Pois, o senhor, pastor, disse em alto e bom tom que os críticos da sua mensagem são caluniadores, difamadores e a voz do diabo. Ou será que Deus, além da voz profética, concedeu ao senhor o direito de julgar as pessoas que só querem ver uma pregação pura, sem sujeira, sem corrupção ser anunciada no nosso país?

Segundo questionamento

Não estou aqui para escrever um artigo sobre sua vida como pastor. Afinal, como o senhor mesmo disse, foram 30 anos de chamado. No entanto, não posso deixar escapar uma questão um pouco atrevida que o senhor colocou na sua carta. O senhor diz não receber salários da igreja, mas que as pessoas estão falando mal do senhor porque Deus tem te abençoado e honrado a tua fidelidade. Quando li isso, lembrei-me do apóstolo Paulo que recebia as doações de outros cristãos e compartilhava tudo com os pobres. O carro blindado que ganhou, o que o senhor fez com ele? Vendeu para repartir para os pobres e para que o dinheiro fosse usado na expansão do evangelho? E o seu avião particular? O senhor também ganhou? E quando o senhor fala que as igrejas deixam seus pastores na miséria, será que esse questionamento não serve para o senhor? Já que é tão abençoado, por que não compartilhar essa graça?

Sinceramente, eu não estou com raiva do senhor porque eu ando de Ford Ka 2007 enquanto o senhor anda de carro blindado. O que me deixa indignada é a forma que o senhor se reporta às pessoas, chamando-as de invejosas porque não têm os mesmos ganhos que o senhor. A maior parte da população desse país, até entre os cristãos (não sei se o senhor sabia disso), precisa trabalhar para ter um salário que lhes ofereça pelo menos a chance de se alimentar com dignidade. Para conseguir comprar uma roda de bicicleta, como o senhor fala, essas famílias precisam viver anos de economia até conseguir o dinheiro o suficiente para conquistar o sonho. Será que essas famílias são menos abençoadas por Deus por que nunca ganharam um relógio nem do Paraguai, enquanto o senhor anda para cima e para baixo com relógio de ouro que ganhou de algum amigo?

E já que a sua vida e seu ministério são testemunhos do que Deus tem feito, por que o senhor teme a investigação da Receita Federal e do Ministério Público? Se tudo está correto, se não houve nenhuma enganação, por que ter medo de abrir as contas e mostrar de onde vem o seu sustento? E por que não agir com clareza em vez de fugir das investigações?

Eu te desafio

Eu, senhor pastor, lanço-te um desafio: a mostrar com clareza sua vida e ainda a dividir todo o seu patrimônio acumulado com os pobres. Desafio também, senhor pastor Malafaia, para ir pregar a teologia da prosperidade no sertão, onde há fome. Na África, onde as crianças morrem desnutridas, onde as mães dão seus seios secos para tentar afagar a fome dos seus bebês. Desafio, o senhor pastor, a ir às favelas entregar tudo o que senhor arrecadou com as bênçãos de Deus para aquelas famílias que estão com dificuldade para se alimentar.

Minha oração

Toda vez que faço uma crítica a uma falsa doutrina, seja por meio de blogs, Facebook, Twitter, ou mesmo nos grupos da igreja a qual pertenço, não fico feliz por isso. Na verdade, sou dominada por uma grande tristeza, pois sei que muitas almas estão sedentas de Deus, mas estão sendo guiadas por líderes cegos. E ao contrário do que o senhor diz, eu oro não para que pastores hipócritas como o senhor caiam. Eu oro a Deus para que o senhor e os outros líderes se convertam de verdade. Peço a Deus para tirar a arrogância do coração dos senhores e que o desejo de ser humilde e pacificador possa dominar o coração dos atuais apóstolos do poder.

***
Mikaella Campos é mais uma ilustre desconhecida (no reino dos homens soberbos), jornalista, cristã Batista há 28 anos, desses 20 com entendimento. Escreve para o blog “Minha vida em cristo sem heresias” e faz sua estréia aqui no Púlpito Cristão.

Em Cristo,

Mário César de Abreu

Comentários

  1. Ei, irmão. Estou retribuindo a visita. E pode publicar meus textos à vontade. A paz do senhor.

    ResponderExcluir
  2. PAZ AMADA!!

    É COM ALEGRIA QUE A RECEBO EM NOSSO BLOG EM DEFESA DO PURO EVANGELHO;AQUI VC ENCONTRA ALGUMAS MATÉRIAS MINHAS E MUITAS DE PESSOAS COMO VOCE, QUE SABEM EM QUEM TEM CRIDO, E PREGAM A VERDADE,GLORIFICANDO AO SENHOR E SALVANDO ALMAS.
    SIM,VOU PUBLICAR SEUS EDIFICANTES TEXTOS,OBRIGADO!

    EM CRISTO,
    MARIO CESAR DE ABREU

    ResponderExcluir
  3. Caro irmão Mario Cesar,

    A paz amado!

    É triste ter que considerar a resposta dos desafiados. É muito triste sabermos que algo vai mal. Pior e por demasia extremamente triste, entender que este caminho da prosperidade causa desavenças, vergonha, náuseas, intrigas e a necessidade, de não nos calarmos, diante deste abuso que tomou sérias proporções.

    A igreja vive um grande momento e muitos terão que descer de cima do muro. Claro que alguns cairão sem perceber que estavam quase caindo do lado errado.

    Descobriram ao tempo que estavam diante de uma porta larga e fastidiosa.

    Graças a Deus pelos que se levantam na certeza que não possuem o que temer diante de tanta arrogância diante dos homens e de Deus.

    Sigamos com a nossa responsabilidade para a Honra e a Glória do Senhor dos Exércitos.

    O Senhor seja contigo,

    O menor de todos os menores desconhecidos.

    ResponderExcluir
  4. PAZ AMADO PASTOR NEWTON!!

    COM CERTEZA A TRISTEZA E A INDIGNAÇÃO CAMINHAM JUNTAS DIANTE DE TAMANHA OUSADIA DESTE HOMEM E OUTROS CUJOS ENSINOS DE DEMONIOS SE ESPALHAM E TRAZEM A DESGRAÇA A FAMÍLIAS INTEIRAS.
    NÃO NOS CALEMOS POIS,DEUS CONTA CONOSCO.

    EM CRISTO,
    MARIO CESAR DE ABREU

    ResponderExcluir
  5. Parabéns à autora desse texto e a você, caro Mário, por republicá-lo para nós. Essa jovem senhora cristã falou o que muitos líderes não tiveram coragem de falar à respeito do "intocável" Silas Mala Feia. Ops! É Malafaia. [Risos!]
    Em Cristo,
    Marcos Brito

    ResponderExcluir
  6. PAZ MEU QUERIDO IRMÃO MARCOS!!

    TAMBÉM PERCEBI A CORAGEM E SABEDORIA DESTA JOVEM E A ADMIREI NO INSTANTE QUE LI O TEXTO;PRECISAMOS DE PESSOAS ASSIM,CRENTES ASSIM.

    EM CRISTO,
    MARIO

    ResponderExcluir

Postar um comentário

SINTA SE A VONTADE PARA COMENTAR

Postagens mais visitadas deste blog

AS NOVAS HERESIAS DE NEUZA ITIOKA

Governantes, ouçam a Palavra de Deus!

Um clamor pela intervenção de Deus