quinta-feira, 30 de junho de 2011

SER OU NÃO SER,EIS A QUESTÃO




Ser ou não ser


A famosa frase "Ser ou não ser, eis a questão" (no original em inglês: To be or not to be, that's the question) vem da peça A tragédia de Hamlet, príncipe da Dinamarca, de William Shakespeare. Encontra-se no Ato III, Cena I e é frequentemente usada como um fundo filosófico profundo. Sem dúvida alguma, é uma das mais famosas frases da literatura mundial. 


Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Amados irmãos e leitores do "Jesus é o Senhor",chegamos ao momento de enfrentar as aflições por amor a Cristo e Seus ensinamentos; Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa.
Mas tudo isto vos farão por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou.(Jo 15.20,21 ACF).
 Sei que como crentes no Senhor em um mundo que jaz no malígno sempre enfrentaremos e temos enfrentado dificuldades mas,refiro me à questão da "homofobia" tão discutida,mal entendida e usada com propósitos políticos entre nós,brasileiros,nos ultimos dias ou meses.
Temos visto conflitos de idéias e discussões inúteis e temos também presenciado que alguns de nós crentes tem tratado o assunto com tanto cuidado que quase chegam a dizer: não devemos mais pregar que a Bíblia condena a questão da homosexualidade.
Citei a famosa frase da peça de Shakespeare no começo desta postagem e pergunto: e agora de que lado,realmente estamos?(Ser ou não ser);quais são os princípios bíblicos que iremos defender? mesmo que seja para sermos punidos por leis que, se aprovadas, beneficiarão um pequeno grupo em detrimento de todo o restante da sociedade brasileira,famílias de bons costumes,cristãos verdadeiros e concientes do certo e do errado.
Por que nós estamos lidando com os questionamentos do  movimento LGBTUVWXYZ com certa frouxidão em vez de abrirmos logo a Bíblia e dizer: todo mundo pode ter a orientação sexual que quizer no entanto,o correto é que Deus criou o homem e a mulher e os constituiu uma família com direito e o dever de ter  filhos e filhas,de se multiplicarem e povoarem a Terra.
Me digam,o que foi que mudou nesta condição estabelecida pelo próprio Senhor?e me digam também o que mudou de quando o Apóstolo Paulo escreveu aos romanos no cap 1,condenando a homosexualidade? 
Pedro e os apóstolos não disseram que antes importa obedecer a Deus que aos homens? " E, trazendo-os, os apresentaram ao conselho. E o sumo sacerdote os interrogou,
Dizendo: Não vos admoestamos nós expressamente que não ensinásseis nesse nome? E eis que enchestes Jerusalém dessa vossa doutrina, e quereis lançar sobre nós o sangue desse homem.
Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.."(At 5.29-31 ACF).
Amados, temos que aumentar a nossa voz como fizemos em Brasilia na manifestação pacífica mas, também é a hora de pregarmos sobre o assunto do pecado da homosexualidade,do desrespeito a família por conta de uniões homoafetivas e das consequencias em nossos filhos e jovens que ainda não tem uma formação firme a respeito de todas as questões da vida,sendo evangélicos ou não.
Fica aqui um alerta,uma convocação à ação,dentro é claro da ordem e descencia que cabe a cidadãos brasileiros,evangélicos ou não.


Em Cristo,


Mário César de Abreu



quarta-feira, 29 de junho de 2011

Atriz Myrian Rios sofre ataque de carrascos e é repreendida por ter usado a palavra “homossexualismo”



FONTE: BLOG DO CIRO

Talvez a atriz Myrian Rios, deputada estadual pelo Rio de Janeiro, tenha se excedido um pouquinho (só um pouquinho), ao defender os valores da família e se contrapor ao PEC 23, uma espécie de PLC 122 no âmbito estadual. Ela afirmou que um homossexual pode vir a ter desejos por meninos (pedofilia). Mas a preocupação dela é válida, considerando que existem no mundo organizações, como a NAMBLA (North American Man/Boy Love Association), que lutam pelos direitos dos pedófilos homossexuais.

Depois do seu pronunciamento na ALERJ (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro), a deputada estadual passou a ser “bombardeada” no Twitter, numa reação desproporcional de uma parte dos ativistas do movimento LGBTUVWXYZ. Ela foi, inclusive, agredida verbalmente pelo novelista Walcyr Carrasco (nome sugestivo), que a chamou de burra.


Ao acessar o seu microblog, para enviar-lhe uma mensagem de encorajamento ante as críticas pesadas que tem recebido, espantei-me com a postura da deputada, ao aceitar a seguinte repreensão de um militante elegebetista: “Então aprende que homossexualismo é termo que não se usa! Senão sua ‘explicação’ ainda carregará preconceito!” Ora, quer dizer, então, que até o emprego do termo “homossexualismo” caracteriza homofobia?! Não resisti. Escrevi na mesma hora à deputada e lhe disse: “Pode usar o termo, sim! Não há nada de preconceituoso nisso”.


Não satisfeitos em torcer o sentido do vocábulo “homofobia”, agora os elegebetistas querem impedir as pessoas de usarem um termo que consta dos dicionários da língua portuguesa?! Reconheço que é usual e comum chamarmos de homossexualidade a relação sexual entre pessoas do mesmo sexo. Entretanto, a palavra “homossexualismo” não é preconceituosa. Ela designa principalmente o movimento dos ativistas homossexuais e a sua ideologia.


O vocábulo em apreço não deve ser, evidentemente, confundido com “homossexualidade”, pois uma coisa é a relação entre pessoas do mesmo sexo (homossexualidade). E outra, bem diferente, é o movimento, o ativismo, a ideologia dos homossexuais (homossexualismo). Querer cercear a liberdade das pessoas de usarem palavras constantes da nossa língua é um abuso sem tamanho!


Sinceramente, onde vamos parar, se ministros do STF, juízes, emissoras de rádio e TV, jornalistas, artistas e apresentadores — em sua maioria — continuarem aceitando a pressão do aludido movimento, considerando os que pensam de modo diferente retrógrados e homofóbicos? Daqui a pouco, até olhar para um homossexual será preconceito...


Esse episódio envolvendo Myrian Rios antecipa o que acontecerá, caso o nefando, abominável, execrável, nefasto, anticonstitucional PLC 122 seja aprovado no Senado Federal. O simples emprego de um termo que não agrade ao movimento LGBTUVWXYZ ensejará ameaças, xingamentos e poderá culminar na prisão do 
“criminoso”. Será que as atuais modificações no Código de Processo Penal ocorreram para liberar vagas nas prisões para os cruéis “homofóbicos”?

Ciro Sanches Zibordi

Hetero sim, homofóbico não



TERÇA-FEIRA, 28 DE JUNHO DE 2011
Hetero sim, homofóbico não


Amados leitores do Blog do Anderson, como já verbalizei em outras oportunidades não estou podendo neste momento me dedicar mais assiduamente a esse espaço, em decorrência de diversos compromissos eclesiásticos, profissionais e pessoais. Mas, em virtude do assunto que nos últimos meses tem tomado conta da rede mundial de computadores e também da rede televisiva. Se faz necessário alguns esclarecimentos de minha parte.


No último domingo o movimento LGBTTTs (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros  e o 's' se refere aos simpatizantes) fizeram uma grande reunião em São Paulo, reunião essa de mais de 3 milhões de pessoas regrado com muita promiscuidade, drogas e violência, fatos esses encobertos pela mídia.


Não é surpresa para ninguém que a mídia na sua grande maioria apóia o movimento supracitado, a maior emissora de televisão deste país por exemplo, em todas as suas tele-novelas abordam o tema, mostrando as violências sofridas pelos LGBTTTs.


A novela das 8, como é chamada, já é considerada a recordista em personagens com essa opção sexual, possui até um "point" gay: um quiosque na Praia de Copacabana. Ela apresenta ainda um contraponto ao time de “coloridos”, enfatizando um dos pontos principais da trama a homofobia. Ponto esse que tem sido amplamente discutido nos últimos meses.


Diante disso, é importante salientar que esse termo homofobia foi criado pelo psiquiatra George Weinberg, no livro Society and the Healthy Homosexual (New York, St, Martin’s Press, 1972) para designar o complexo emocional que, no seu entender, seria a causa da violência criminosa contra homossexuais.


O que não é entendido pelo movimento é que é absolutamente impossível provar, por meios experimentais ou por quaisquer outros, que toda e qualquer rejeição à conduta homossexual seja, na sua origem e nas suas intenções profundas, substancialmente idêntica ao impulso assassino voltado contra homossexuais. Desta forma, não podemos taxar aqueles que não concordam com a prática homossexual de homofóbicos.


Uma vez que discordar, não faz de mim um homofóbico, posto que, eu o seria se usasse de violência contra os mesmos. O que o movimento tem que entender, é que nós – evangélicos – podemos e somos contra a prática do homossexualismo, uma vez que a nossa regra de fé e de prática de viver também é, mas nunca e de forma alguma somos contra o homossexual. Da mesma forma que Deus é intolerante ao pecado, mas ama incondicionalmente o pecador.


A paz seja com todos,


Anderson Ribeiro


FONTE: BLOG DO ANDERSON

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Neopentecostalismo: Um desserviço ao evangelho



Por Valdir Davalos
Diversos movimentos pentecostais têm surgido ao longo dos anos. Portanto, é preciso saber distinguir o verdadeiro do falso pentecostalismo. O conhecido movimento denominado neopentecostal surgiu nos meados do século XX. O neopentecostalismo se propôs a dinamizar as práticas litúrgicas, a cristologia, a eclesiologia e a prática hermenêutica. No que diz respeito à prática litúrgica, o neopentecostalismo apresenta um problema dos mais graves. Em seus cultos, as campanhas de cura, prosperidade material, saúde e revelação têm proeminência. A preocupação maior não é a glória de Deus, mas as necessidades humanas focadas por uma ótica hedonista.
O slogan das igrejas neopentecostais é: “Você nasceu para vencer”. É uma frase elegante e até estimula nossa vida diária, mas está teologicamente errada. Nós não nascemos para vencer. Nascemos para servir e glorificar a Deus. Nascemos para viver com Deus e para Deus. O alvo da nossa vida como servos do Senhor, deve ser Deus e não nós mesmos, e não nossos projetos pessoais. O crente verdadeiro tem um único projeto: glorificar a Deus em sua vida com sofrimento ou sem sofrimento, com revezes ou sem revezes. Os mártires da igreja se viam a si mesmos como secundários e Deus como o prioritário, por isso glorificaram a Deus em seus sofrimentos. Nos cultos neopentecostais o homem é o foco, é a causa e a razão. O homem é o centro do culto e Deus torna-se servo. A liturgia neopentecostal toma uma direção totalmente horizontal. Um slogan bastante usado pelos líderes neopentecostais é: “Aqui o milagre é coisa natural”. Ora, se é natural não é milagre. Ademais, esses líderes esquecem que o culto deve expressar a natureza espiritual da igreja e seu relacionamento com Deus.
A liturgia de um culto deve enfatizar o senhorio de Jesus e não apenas Jesus como provedor de necessidades humanas. O culto neopentecostal é pobre de Bíblia. A Bíblia não é central é periférica. As pregações são cheias de chavões positivos do tipo: “Deus tem uma vitória para você nesta noite”, “O gigante será derrotado nesse culto”, “Use a fé e prospere”. Enfim, é uma epidemia de confissões positiva e pouquíssima Bíblia. Dificilmente se ouvirá uma mensagem sobre perdão de pecados, a necessidade de arrependimento, vida de renúncia e a volta de Jesus nos púlpitos neopentecostais.
Os sermões neopentecostais mostram um Jesus fraco e demônios fortes. Mostram um Jesus que salva, mas não tem poder para encher a vida da pessoa. Tanto isso é verdade que na visão neopentecostal o crente continua de quando em quando sendo possesso de demônios. Há uma supervalorização dos demônios chegando às raias do ridículo: “Comece a se manifestar pomba gira”, “Manifeste-se exu tranca-rua” são frases que saem da boca dos gurus neopentecostais.
O clima de um culto neopentecostal é de lavagem cerebral pela técnica de repetição de frases curtas: “Olhe para seu irmão e diga…” Não é um clima de ensino e doutrina. A técnica é de manipulação e de despersonalização. A letra dos cânticos nos cultos neopentecostais expressa uma linguagem mística, e muitas vezes esotérica, sem abordar as verdades fundamentais da teologia cristã. Os grandes temas da fé como a salvação, a cruz, a redenção e a justificação não são mencionados nos cânticos. A realidade é que se espremermos a maioria dos cânticos neopentecostais não dá uma colher de sopa de doutrina. As letras das músicas são guisados de Jacó que trazem malefícios à fé apostólica. Falam de paz e amor para elevar o ego dos ouvintes. Quanto à cristologia constata-se claramente que a pessoa de Jesus se esvanece no neopentecostalismo.
O Cristo dos neopentecostais é uma pessoa decorativa, é uma pálida caricatura do Cristo do Novo Testamento, pois o nome de Jesus é mostrado como se fosse uma senha para acessar o site das maravilhas e fazer o download do milagre de que se necessita. O Jesus dos neopentecostais é mostrado não como a segunda pessoa da trindade, mas como um mágico, um talismã, um nome a manipular, um dístico. Tanto isso é verdade que a ênfase teológica do neopentecostalismo não é cristológica, mas pneumatológica, ou seja, a pessoa de Jesus é apagada e a ênfase é dada ao Espírito Santo. Para os pastores neopentecostais, Cristo é o canal para nos trazer o Espírito Santo, quando na verdade é o Espírito Santo quem nos conduz a Cristo e que desvenda a pessoa de Cristo ao fiel. Quando a cristologia é fraca a soberba do homem é grande. A palavra de João Batista “Importa que Ele cresça e que eu diminua” não encontra espaço no neopentecostalismo.
Os líderes neopentecostais se vêem como mediadores entre Deus e os homens. Sua palavra supera o valor das Escrituras. Eles disputam espaço com Cristo. Eles gritam: “Eu senti no meu coração e pronto”, ou seja, se sentiu no coração é verdade absoluta. Esquecem esses líderes que não é que nós sentimos em nosso coração, é o que a Bíblia diz. Se sentirmos de uma maneira, e a Bíblia disser de outra, nós é que estamos equivocados, e não a Bíblia.
Os crentes antigos oravam assim: “Senhor me esconde atrás da cruz de Cristo”, os líderes neopentecostais trocaram a oração por: “Senhor esconde a cruz de Cristo atrás de mim”. De acordo com as Escrituras o verdadeiro pastor pregar a obra de Jesus, mas os pastores neopentecostais completam a obra de Jesus, ou seja, Jesus só produz efeito na vida de uma pessoa através da “oração forte” que eles fizerem. Só eles têm poder sobre os demônios, só eles têm “a chave da oração forte”. Eles são o Sumo-Sacerdote e Jesus é apenas um ente espiritual. Nesse contexto, Jesus precisa ser reforçado pela “oração forte” de um guru neopentecostal. O neopentecostalismo é maléfico, pois apresenta um Evangelho descorado onde as visões e revelações estrambóticas é o referencial para o crescimento espiritual.
Enfim, o neopentecostalismo é um desserviço ao Evangelho.
FONTE: PÚLIPITO CRISTÃO

Que saibam as fundadoras da Comunidade Cidade de Refúgio: “De Deus não se zomba”



Há alguns anos, eu ganhei de um gerente de loja evangélica uma fita de vídeo de uma famosa pregadora. O irmão me disse: “Os vídeos dessa irmã estão vendendo muito. Ela prega demais”. Desejoso de ouvir uma mensagem cristocêntrica, acabei me decepcionando...


Assustei-me com o que vi logo no primeiro minuto da “pregação” e nem assisti ao vídeo todo. A pregadora (pregadora?) imitava os trejeitos de famosos animadores de auditório e quase punha as entranhas para fora, ao pronunciar o aleluia final. E a sua exposição não tinha começo, meio e fim. Não sabendo aplicar bem a simbologia bíblica, ela atrelou o precioso sangue de Cristo a uma inundação de poder: “Receeeba o rio de sangue”.


Gosto muito de ouvir pregadoras que mantêm a feminilidade. Deus fez as mulheres sensíveis, delicadas, detalhistas, singularmente inteligentes e cativantes. Mas, assim como é estranho ver um pregador desmunhecando e rebolando, causa espanto assistir a uma pregadora que emprega gesticulação masculina e possui voz grossa, masculinizada.


Sem paciência para assistir ao vídeo, fui avançando, até chegar à parte pior... Depois gritar muito e empregar técnicas de manipulação de plateia do tipo olhe-para-o-seu-irmão-e-diga-isso-e-aquilo, a “pregadora” começou o testemunho que — como todos sabem — era o “carro-chefe” do seu ministério.


Com todos os trejeitos mencionados, a “avivalista” chama à frente o seu marido — ao som de muitas glórias a Deus — e diz que Jesus Cristo havia transformado a sua vida por completo, libertando-a da homossexualidade e dando-lhe uma linda família. Algum anos depois, no entanto, a “pregadora” teve uma recaída nos Estados Unidos.


Há pouco tempo, ela resolveu assumir a sua “orientação sexual” e fundar, junto com a sua companheira, a Comunidade Cidade de Refúgio, em São Paulo. Agora, ela, que visitou várias igrejas brasileiras e usou o nome do Senhor — em vão, é evidente — para dizer que fora liberta do lesbianismo, está afirmando que o “sistema evangélico” a obrigava ser contrária à sua “orientação sexual”.


Ela passou rapidamente da condição de ex-homossexual para a de ex-heterossexual! Antes, uma pecadora arrependida, teve coragem de pedir perdão em público por ter tido uma recaída. Agora, dizendo-se vítima dos próprios evangélicos, funda uma “igreja inclusiva” para ajudar todas as pessoas, inclusive as que sofrem preconceito no meio evangélico...


Em resumo, a tal “pregadora” enganou o seu esposo, o povo de Deus e a si mesma. Mas nunca enganará o Espírito Santo! “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gl 6.7).


FONTE: Blog do Ciro

domingo, 26 de junho de 2011

"Deus ainda fala a nós hoje?"



Na Bíblia há muitos registros de Deus falando audivelmente às pessoas (Êxodo 3:14; Josué 1:1; Juízes 6:18; I Samuel 3:11; II Samuel 2:1, Jó 40:1; Isaías 7:3; Jeremias 1:7; Atos 8:26; 9:15 – só como um pequeno exemplo). Não há razão bíblica para que Deus não possa ou não vá falar audivelmente com alguém nos dias de hoje. Contudo não podemos esquecer que estas centenas de registros bíblicos de Deus falando refletem ocorrências espalhadas por 4000 anos da história da humanidade. Deus falando audivelmente a alguém é exceção, não regra. E mesmo nestes exemplos bíblicos registrados, nem sempre fica claro se realmente se tratava de uma voz audível, uma voz interior ou uma impressão mental.


Deus sim fala às pessoas nos dias de hoje. Primeiramente, Deus nos fala através de Sua Palavra (II Timóteo 3:16-17). Isaías 55:11 nos diz: “Assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei.” A Bíblia registra as palavras de Deus a nós em tudo o que precisamos saber para que sejamos salvos e vivamos a vida cristã. II Pedro 1:3-4 diz: “Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou pela sua glória e virtude; pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo”.


Em segundo lugar, Deus fala través de impressões, acontecimentos e pensamentos. Deus nos ajuda a discernir o certo do errado através de nossas consciências (I Timóteo 1:5; I Pedro 3:16). Deus usa o processo de moldar nossas mentes para pensarmos Seus pensamentos (Romanos 12:2). Deus permite que aconteçam coisas em nossas vidas com o objetivo de nos direcionar, transformar e ajudar, para que cresçamos espiritualmente (Tiago 1:2-5; Hebreus 12:5-11). I Pedro 1:6-7 nos lembra que: “Em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações, para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo.”


Para finalizar, Deus pode às vezes falar audivelmente às pessoas. É altamente questionável, entretanto, que isto ocorra com tanta freqüência como dizem alguns. Mais uma vez digo: mesmo na Bíblia, Deus falando audivelmente é exceção, não o comum. Se alguém diz que Deus falou com ele, sempre compare isto com o que a Bíblia diz. Se Deus fosse falar hoje, suas palavras seriam totalmente de acordo com o que Ele disse na Bíblia. Deus não se contradiz. II Timóteo 3:16-17 diz: “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.”


FONTE: www.GotQuestions.org/Portugues

sábado, 18 de junho de 2011

Lanna Holder e Rosania, pastoras lesbicas, farão “evangelismo” na Parada Gay de São Paulo






Lanna Holder e Rosania, pastoras lesbicas, farão “evangelismo” na Parada Gay de São Paulo
Publicado em 17 de junho de 2011 por Leonardo Gonçalves




Lanna Holder e Rosania Rocha dizem que movimento perdeu o propósito. Organização diz que evento continua reivindicando direitos humanos


Leia também: Missionária Lanna Holder abre igreja gay em São Paulo
Saiu no G1:


Três semanas depois de inaugurar uma igreja inclusiva e voltada para acolher homossexuais no Centro de São Paulo, o casal de pastoras Lanna Holder e Rosania Rocha pretende participar da Parada Gay de São Paulo, em 26 de junho, para “evangelizar” os participantes. Estudantes de assuntos ligados à teologia e a questões sexuais, as mulheres encaram a Parada Gay como um movimento que deixou de lado o propósito de sua origem: o de lutar pelos direitos dos homossexuais.


“A história da Parada Gay é muito bonita, mas perdeu seu motivo original”, diz Lanna Holder. Para a pastora, há no movimento promiscuidade e uso excessivo de drogas. “A maior concepção dos homossexuais que estão fora da igreja é que, se Deus não me aceita, já estou no inferno e vou acabar com minha vida. Então ele cheira, se prostitui, se droga porque já se sente perdido. A gente quer mostrar o contrário, que eles têm algo maravilhoso para fazer da vida deles. Ser gay não é ser promíscuo.”


As duas pastoras vão se juntar a fiéis da igreja e a integrantes de outras instituições religiosas para conversar com os participantes da parada e falar sobre a união da religião e da homossexualidade. Mas Lanna diz que a evangelização só deve ocorrer no início do evento. “Durante [a parada] e no final, por causa das bebidas e drogas, as pessoas não têm condição de serem evangelizadas, então temos o intuito de evangelizar no início para que essas pessoas sejam alcançadas”, diz.


Leandro Rodrigues, de 24 anos, um dos organizadores da Parada Gay, diz que o evento “jamais perdeu o viés político ao longo dos anos”. “O fato de reunir 3 milhões de pessoas já é um ato político por si só. A parada nunca deixou de ser um ato de reivindicação pelos direitos humanos. As conquistas dos últimos anos mostram isso.”


Segundo ele, existem, de fato, alguns excessos. “Mas não é maioria que exagera nas drogas, bebidas. Isso quem faz é uma minoria, assim como acontece em outros grandes eventos. A parada é aberta, e a gente não coíbe nenhuma manifestação individual. Por isso, essas pastoras também não sofrerão nenhum tipo de reação contrária. A única coisa é que o discurso tem que ser respeitoso.”


Negação e aceitação da sexualidade


As duas mulheres, juntas há quase 9 anos, chegaram a participar de sessões de descarrego e de regressão por causa das inclinações sexuais de ambas. “Tudo que a igreja evangélica poderia fazer para mudar a minha orientação sexual foi feito”, afirma Lanna. “E nós tentamos mudar de verdade, mergulhamos na ideia”, diz Rosania. As duas eram casadas na época em que se envolveram pela primeira vez.


“Sempre que se fala em homossexualidade na religião, fala-se de inferno. Ou seja, você tem duas opções: ou deixa de ser gay ou deixa de ser gay, porque senão você vai para o inferno. E ninguém quer ir para lá”, diz Lanna.


A pastora afirma que assumir a homossexualidade foi uma descoberta gradual. “Conforme fomos passando por essas curas das quais não víamos resultado, das quais esperávamos e ansiávamos por um resultado, percebemos que isso não é opção, é definitivamente uma orientação. Está intrínseco em nós, faz parte da nossa natureza.”


Igreja Cidade de Refúgio


Segundo as duas mulheres, após a aceitação, surgiu a ideia de fundar uma igreja inclusiva, que aceita as pessoas com histórias semelhantes as delas. “Nosso objetivo é o de acolher aqueles que durante tanto tempo sofreram preconceito, foram excluídos e colocados à margem da sociedade, sejam homossexuais, transexuais, simpatizantes”, diz Lanna. Assim, a Comunidade Cidade de Refúgio foi inaugurada no dia 3 de junho na Avenida São João, no Centro de São Paulo. Segundo as pastoras, em menos de 2 semanas o número aumentou de 20 fiéis para quase 50. Mas o casal ressalta que o local não é exclusivo para homossexuais. “Nós recebemos fiéis heterossexuais também, inclusive famílias”, diz Rosania.


Apesar do aumento de fiéis, as duas não deixaram de destacar as retaliações que têm recebido de outras igrejas através de e-mails, telefonemas e programas de rádio e televisão. “A gente não se espanta, pois desde quando eu e a pastora Rosania tivemos o nosso envolvimento inicial, em vez de essa estrutura chamada igreja nos ajudar, foi onde fomos mais apontadas e julgadas. Mas não estamos preocupadas, não. Viemos preparadas para isso”, afirma Lanna.


***
Dica do pastor Silas, do Ministério Batista Beréia. Divulgação: Púlpito Cristão


FONTE: PÚLPITO CRISTÃO



segunda-feira, 6 de junho de 2011

MENTIRAS DESCARADAS ANTES DAS ELEIÇÕES

A Paz do SENHOR!


Amados irmãos e leitores do JESUS É O SENHOR,recebi este e-mail,abaixo exposto, do gabinete do senador Crivella,depois de questioná-lo sobre o por que do apoio,na época das eleições 2010,à candidata Dilma,hoje ocupando o cargo de Presidente do Brasil.
Como podemos ver,existem fatos que estão acontecendo hoje e que possívelmente acontecerão em futuro próximo,que entram em contradição com as afirmações do senador,nas pessoas que o representam em seu e-mail de contato que de acordo com o texto abaixo colocaram o senador em uma posição de fragilidade diante das contradições acima mencionadas.


Fiquemos alertas para expor este e-mail como prova do jogo de interesses pessoais,que certos políticos fazem usando da mentira ou pelo menos afirmando coisas que não têm certeza que poderão sustentar apenas,para continuarem no poder pelo voto da,sempre enganada e desrespeitada sociedade brasileira.
Segue se o texto do aludido e-mail:



Prezado Mário,

Agradecemos seu contato e esclarecemos que são apenas boatos as mensagens veiculadas sobre a candidata Dilma com respeito à legalização do aborto, adoção de crianças por casais homossexuais, regularização da profissão de prostitutas, controle social da mídia, criminalização da pregação da Bíblia no que tange ao “pecado homossexual”, fechamento de igrejas, controle do espaço dos pastores na mídia e, por último, a suposta satanização do vice Michel Temer.
O Senador se mantém fiel aos seus princípios éticos e religiosos e está convicto de que a continuidade do governo Lula com seus históricos avanços sociais é o melhor para o Brasil e para as igrejas.
Deus o abençoe.

Cordialmente,



 EM CRISTO,
MÁRIO CESAR DE ABREU
EVANGELISTA E EDITOR DESTE BLOG


sexta-feira, 3 de junho de 2011

O show tem que acabar!




Por Samuel Torralbo


A simplicidade e a praticidade do Evangelho são eventualmente mal interpretadas por muitas pessoas, porque a alma humana é por natureza ritualista e mistificada.


O significado do alcance da graça de Deus em Cristo Jesus torna-se insuportavelmente divinos demais, pelo fato de abolir as barganhas, as performances e os rituais humanos. De modo que, na ausência de discernimento, sutilmente o culto que por direito pertenceria a Deus, torna-se de fato um culto a personalidade humana.


Não quero confundir excelência no culto (o que deve sempre ser buscado) com espetáculo religioso (que ovaciona o ego humano). De modo que, pelo fato, de Deus ser excelente, o culto deve ter no mínimo quatro aspectos em seu caráter:


1) Caráter espiritual: “Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.” Jo 4.24


2) Caráter Organizacional: “Mas faça-se tudo decentemente e com ordem.” ICo 14.40


3) Caráter Funcional: Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento.”I Co 14.15


4) Caráter fundamental: “A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração.” Col 3.16


Dentro desses princípios básicos de um culto a Deus, certamente muitas habilidades, dons e talentos serão perceptivos na congregação cristã, de modo que, é necessária a lembrança de outro principio que também abrange o culto – “Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo…” Gl 6.14


Portanto, o culto apresentado a Deus que se manifesta na expressão do espírito em verdade, na exposição da palavra de Cristo, na ordem e na decência, no entendimento, nos cânticos e nos salmos, tem como único alvo a adoração a Deus e a edificação da Igreja de Cristo. Nisto, não existe espaço para a glorificação, exaltação, ou promoção de qualquer personalidade humana.


Porém, infelizmente, muita confusão existe por causa do desconhecimento bíblico do modelo de um autentico culto a Deus. E com isso, o culto passa a dar lugar ao show, entretenimento, espetáculo, e ambiências que descaracterizam o significado de um culto a Deus.


Observo que, o culto essencial a Deus precisa ser resgatado e mantido pela Igreja, enquanto que, o show religioso precisa acabar.


O show das performances humanas precisa acabar, para que, novamente o poder do E

Postagem em destaque

A VERDADEIRA ALEGRIA NUM MUNDO EMBRIAGADO PELO FALSO PRAZER

Por Hernandes Dias Lopes O Brasil celebra mais uma edição do Carnaval, a festa popular mais conhecida do mundo. Milhões de reais são gast...