sexta-feira, 31 de maio de 2013

E disse Acabe a Elias: Já me achaste, inimigo meu? E ele disse: Achei-te; porquanto já te vendeste para fazeres o que é mau aos olhos do SENHOR.I Reis 21:20

Amados,no vídeo abaixo vocês verão cenas que muitos dizem ser louvor,adoração ou como o próprio cantor diz,é diversão. Eu porém, digo que até o nome da gincana ou seja lá o que for isso aí, é "blasfêmia" e tudo não passa de pura zombaria,estão escarnecendo de Deus e de sua Palavra e digo mais: quem pensa o contrário não conheceu a Jesus e precisa nascer de novo.(João 3) "Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará." (Gálatas 6 : 7) .

 No título da postagem está um verso da bíblia que mostra a reação de Acabe,rei de Israel que não fazia o que era reto diante do Senhor ("Também Acabe fez um ídolo; de modo que Acabe fez muito mais para irritar ao SENHOR Deus de Israel, do que todos os reis de Israel que foram antes dele." I Reis 16 : 33),quando o profeta Elias veio para confronta-lo a respeito dele(Acabe)estar assumindo a vinha de Nabote após este ter sido assassinado pela armação que Jezabel,mulher do rei,que era sacerdotisa de baal, fez contra ele e mostra também a resposta de Elias vinda da parte do Senhor.(leiam o contexto) Vejam que Acabe chama Elias de "inimigo meu" pois quem está na prática de coisas abomináveis diante de Deus,considera quem os alerta,exorta e ensina,como "inimigo".Portanto, que venham as pedras mas, sempre serei contra estas práticas que trazem vergonha ao evangelho de Cristo Jesus.(II Pedro 2:2)

 Mário César de Abreu

terça-feira, 28 de maio de 2013

DEZ MOTIVOS PARA NÃO PARTICIPAR DA “MARCHA PARA JESUS”

POR QUAL MOTIVO "MUITOS" INSISTEM EM CONTINUAR NO CAMINHO DO ERRO TODOS OS ANOS,DIA APÓS DIA? NÃO SERIA ESTE O MESMO MOTIVO QUE FAZ  "MUITOS" ADENTRAREM À PORTA LARGA QUE CONDUZ À PERDIÇÃO (MATEUS 7:13)?  E O MOTIVO NÃO É OUTRO SENÃO QUE "MUITOS" NÃO SE SUBMETEM AOS ENSINOS DA PALAVRA DE DEUS ,QUE NÃO ACEITAM A CRISTO COMO SENHOR E SALVADOR E PORTANTO NÃO SENDO NASCIDOS DE NOVO (JOÃO3), ESTES "MUITOS" NÃO PODEM ENTENDER O EVANGELHO POR QUE AS VERDADES DE DEUS SÃO ESPIRITUAIS E SE DISCERNEM ESPIRITUALMENTE."Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente."  (I Coríntios 2 : 14)

PENSEM NISSO!

EM CRISTO,
MÁRIO CÉSAR DE ABREU





Por Rev. Ageu Cirilo de Magalhães Jr.

No dia, 03/09/2009, o então Presidente da República, Sr. Luiz Inácio Lula da Silva, sancionou a lei que instituiu o Dia Nacional da Marcha para Jesus.

Estavam ali, naquele ato, alguns líderes do governo, juntamente com o bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, Marcelo Crivella, e os bispos da Igreja Renascer em Cristo, Estevam e Sônia Hernandes. A sanção do presidente veio apenas tornar oficial uma prática que se repete a cada ano. Considerando o tamanho do evento e a quantidade de irmãos que mobiliza, alisto abaixo dez motivos que cada cristão deveria considerar para não participar desta marcha. As informações que dão base à análise podem ser encontradas em sites de promoção da marcha:

1. A igreja que organiza a maior parte da marcha é conduzida por um homem que se autodenomina apóstolo. Este é um erro cada vez mais frequente em algumas denominações. É sabido que o título “apóstolo” foi reservado àquele primeiro grupo de homens escolhidos por Cristo. Após a traição e suicídio de Judas, os apóstolos escolheram outro para ocupar seu lugar (At 1.15-20), mas, como foi feita esta escolha? Que critérios foram usados? 1º) Ter sido discípulo de Jesus durante o seu ministério terreno; 2º) Ter sido testemunha ocular do Cristo ressurreto. Portanto, ninguém que não tenha sido contemporâneo de Cristo ou dos apóstolos (como Paulo o foi) pode sustentar para si o título de apóstolo;

2. A igreja que organiza a marcha ensina a Teologia da prosperidade (crença de que o cristão deve ser próspero financeiramente), Confissão positiva (crença no poder profético das palavras — assim como Deus falou e tudo foi criado, eu também falo e tudo acontece), Quebra de maldições (convicção de que podem existir maldições, mesmo na vida dos já salvos por Cristo) e Espíritos territoriais (crença em espíritos malignos que governam sob determinadas áreas de uma cidade);

3. A filosofia da marcha está fundamentada em uma Teologia Triunfalista (tudo sempre vai dar certo, não existem problemas na vida do crente), tendo como base textos como Êxodo 14 (passagem de Israel no mar Vermelho) e Josué 6 (destruição de Jericó);

4. De acordo com os sites que organizam a marcha, uma das finalidades dela é promover curas e libertações;

5. A marcha não celebra culto, mas “show gospel”;

6. Os líderes do movimento propagam que a marcha tem o poder de “mudar o destino de uma nação”;

7. Na visão do grupo, com base em Josué 1.3: “Todo lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado”, a marcha é uma reivindicação do lugar por onde passam na cidade;

8. Na visão do grupo, a marcha serve para tapar as “brechas deixadas pelos atos ímpios de nossa nação”;

9. Na visão do grupo, a marcha destrói “fortalezas erguidas pelo inimigo em certas áreas em nossas cidades e regiões”;

10. A marcha tem caráter isolacionista, próprio de gueto, e não o que Cristo nos ensinou, a saber, envolvimento amplo na sociedade, como sal e luz (Mt 5.13-16), com irrepreensível testemunho cristão: “…mantendo exemplar o vosso procedimento no meio dos gentios, para que, naquilo que falam contra vós outros como de malfeitores, observando-vos em vossas boas obras, glorifiquem a Deus no dia da visitação” (1 Pe 2.12).

Ademais, é importante observar que toda a organização da marcha está centrada nas mãos de uma igreja apenas, excluindo-se o alegado caráter de união entre os evangélicos.

Tanta força e entusiasmo deveriam ser canalizados para a pregação do evangelho. As pesquisas indicam que os evangélicos já somam 25% da população brasileira, no entanto, a imoralidade, a corrupção e a violência estão cada vez maiores em nosso país. Os canais de TV, os programas de rádio, bem como as marchas não têm gerado transformação de vida em nosso povo.

A marcha que Cristo ensinou à sua igreja foi outra, silenciosa e efetiva, tal qual o sal penetrando no alimento (Mt 5.13); pessoal e de relacionamento, como na igreja primitiva (At 8.4); cotidiana e sem cessar, como entre os primeiros convertidos (At 2.42-47).

Que Deus nos restaure essa visão.

***
Sobre o autor: Rev. Ageu Cirilo é pastor da Igreja Presbiteriana Vila Guarani, São Paulo, diretor doJMC e membro do Conselho Editorial da CEP.

Texto extraído do jornal Brasil Presbiteriano de Maio de 2013, via Web Evangelista / Bereianos.

Obs.: Aproveitando este artigo do Rev. Ageu, sugiro também a leitura de um artigo de minha autoria sobre o mesmo assunto, escrito em 2012, onde faço uma abordagem mais ampla: “A Marcha que nunca foi para Jesus.” Ruy
***
Fonte: Púlpito Cristão
***
Em Cristo,
Mário César de Abreu

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Marcos Pereira: um inocente perseguido por conta de Cristo? Faça-me rir!

ESTE ARTIGO FOI EDITADO E REPUBLICADO PELO EDITOR DESTE BLOG E FOI RETIRADO DO GENIZAH.




Volta e meia entra um fulano aqui nos comentários do Genizah ou nas nossas redes sociais exigindo que o site também publique alguns vídeos feitos pela Assembleia de Deus dos Últimos Dias revelando fatos que “inocentariam “ o Marcos Pereira.


Vamos deixar claro uma coisa: Não publicamos e nem iremos publicar tais vídeos até que as autoridades competentes atestem a autenticidade das informações ali reveladas. No entanto, continuarei publicando as acusações contra Marcos Pereira, como divulgadas pelas mesmas autoridades policiais e ministério público.


Por que? Não tenho acesso aos fatos, testemunhos e provas apurados na investigação policial. Portanto, divulgo informações oficiais, como passadas pelas autoridades à frente do caso. Não estou julgando o "pastor ", mas noticiando fatos. Contudo, penso que Marcos Pereira é pilantra e mentiroso e afirmo isto não com base nas informações da presente investigação. Não preciso destes fatos para formar minha opinião sobre ele. Afirmo o que afirmo baseado nas dezenas de vídeos divulgados por ele na internet com testemunhos absurdos de milagres, teatros simulando desencapetamentos, paletós derrubativos, nos usos, costumes e doutrina ridículos impostos aos incautos seguidores de sua seita, além de diversos casos de estelionato religioso e muitos outros absurdos praticados em nome de Deus.


Eu assisti pessoalmente a um de seus shows religiosos e vi a manipulação dos inocentes e os colaboradores de palco mentirosos, embusteiros.


Não reconheço Marcos Pereira como irmão em Cristo. Não são pequenas diferenças que nos separam, penso mesmo que ele não serve o mesmo Deus que eu sirvo. Pior: Creio que este homem seja um anticristo, pois o que ele faz e defende é o contrário da vontade de Jesus.


Só o corporativismo justifica a atual defesa de parte dos evangélicos a este escroque. Este acontecimento se explica a partir da minha tese (e de outros) de que o movimento evangélico hodierno é um fenômeno basicamente cultural onde a maioria adere, como a uma torcida organizada e passa então a consignar determinados gostos, hábitos e trejeitos e a defender os valores de seu time, buscando sempre ofender as outras "torcidas" a fim de defender as suas cores, acreditando em tudo o que os jogadores do seu time fazem, crendo cegamente em suas promessas de vitória e invencibilidade no campeonato; perdoando toda iniqüidade em campo, as suas faltas e atitudes ilegais ou anti esportivas, sempre no espírito da parcialidade, da cor da camisa, nunca do amor e da justiça.



Infelizmente, o charlatanismo religioso não dá cadeia para certos safados que tão bem conhecemos, mas o fato deste camarada estar preso é motivo de festa pra mim. Não que eu me alegre em seu sofrimento, mas porquanto inocentes estejam sendo poupados de sua armadilha religiosa.


Os vídeos circulando no YOU TUBE com “fatos e revelações” para a defesa de Pereira, com testemunhos de gente ligada a ele são, até prova em contrário, tão manipuladores e mentirosos quanto tantos outros que o mesmo grupo publicou com os shows do pastor Sonic... Busque aqui mesmo na barra lateral deste site, as muitas peripécias do inocente Pereira. Por que deveria eu acreditar que agora esta gente fala a verdade, se sempre mentiu e manipulou?


Finalmente, quanto ao vídeo de um político defendendo Pereira e acusando a TV Globo... Façam-me o favor! O que não falta a um pastor safado famoso é um político igualmente safado a quem ele ajudou a eleger e que o defenda de suas safadezas e cuide de seus interesses escusos. Deixem de ser burros!


Se algum dia for provada a inocência deste cidadão, hipótese que considero remota, quase ficcional, neste caso, darei uma notinha pequena aqui no site, mas já aviso que, na mesma notinha, lembrarei que Marcos Pereira pode até ter sido inocentado desta vez, mas o seu testemunho como pilantra do “evangelho” testifica que ele é culpado de coisas muitos piores do que ele foi acusado neste momento.


Marcos Pereira não crê, pois não teme a Deus, mas seria melhor que ele amarasse uma pedra no pescoço e se atirasse ao mar do que enfrentar o juízo de Deus para quem engana os seus inocentes.


Que a experiência atual na vida deste homem, culpado ou inocente, o leve ao arrependimento por suas armações em nome de Deus.


Danilo Fernandes para o Genizah
***
Apoiando esta postagem do Genizah,

Mário César de Abreu

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Mitos que ameaçam o casamento




O casamento é obra divina. Foi Deus quem instituiu o casamento e estabeleceu princípios para regê-lo. O casamento é um mistério. Nem mesmo as mentes mais brilhantes conseguem compreendê-lo plenamente. A felicidade no casamento só é alcançada através de muito esforço e constante renúncia, muito investimento e pouca cobrança, muito elogio e cautelosas críticas. Muitos casamentos adoecem e morrem, porque em vez dos cônjuges serem governados pela verdade, acabam sendo enganados por alguns mitos. Levantarei aqui alguns desses mitos:


Em primeiro lugar, eu preciso encontrar a pessoa perfeita para me casar.
Essa pessoa não existe. Não viemos de uma família perfeita, não somos uma pessoa perfeita e nem encontraremos uma pessoa perfeita. Além disso, essa ideia já parte de um pressuposto errado, pois é uma afirmação tácita de que já somos uma pessoa perfeita e que o nosso cônjuge é quem precisa se adequar a nós. Esse narcisismo é erro gritante. Produz uma auto-avaliação falsa e inevitavelmente deságua numa relação conjugal adoecida.


Em segundo lugar, se meu cônjuge me ama nunca vai sentir-se atraído(a) por outra pessoa.
Há muitas pessoas que depois do casamento descuidam-se da sua aparência. Esquecem-se de que o amor precisa ser constantemente regado e o relacionamento constantemente cultivado. É sabido que os homens são atraídos por aquilo que veem e as mulheres por aquilo que ouvem. Sendo assim, as mulheres precisam ser mais cuidadosas com sua aparência física e os homens mais atentos às suas palavras. A mulher precisa cativar constantemente seu marido e o marido precisa conquistar continuamente sua mulher. Qualquer descuido nessa área pode ser fatal para a felicidade e estabilidade do casamento.


Em terceiro lugar, se meu cônjuge casou-se comigo nunca vai esperar que eu mude. Um cristão não pode adotar o slogan de Gabriela: “Eu nasci assim, eu cresci e eu vou morrer assim”. A indisposição para mudança é um perigo enorme para a felicidade conjugal. Não somos um produto acabado. Estamos em constante transformação. Somos desafiados todos os dias a despojar-nos de coisas inconvenientes e a agregarmos valores importantes à nossa vida. A acomodação no casamento é um retrocesso, pois num mundo em movimento, ficar parado é dar marcha ré. A vida cristã é uma corrida rumo ao alvo. Nosso modelo é Cristo e todos os dias precisamos ser mais parecidos com Jesus. Para isso, precisamos abandonar atitudes pecaminosas e adotar posturas piedosas.

Em quarto lugar, se meu cônjuge me ama, não vai ficar aborrecido com minha possessividade.
Ninguém é feliz no casamento perdendo sua individualidade. Ninguém sente-se confortável sendo sufocado. Ninguém tem prazer em viver no cabresto, sendo vigiado a todo tempo. O ciúme é uma doença. Uma doença que se diagnostica por três sintomas: uma pessoa ciumenta vê o que não existe, aumenta o que existe e procura o que não quer achar. Embora marido e mulher devam respeito e fidelidade um ao outro, não podem viver sendo monitorados o tempo todo. Casamento pressupõe confiança. A insegurança produz a possessividade e a possessividade gera o controle e o controle estrangula a relação.

Em quinto lugar, se meu cônjuge me ama, nunca vai discordar de mim.
O casamento não é a união de dois iguais. Homem e mulher são dois universos distintos. A ideia de almas gêmeas é absolutamente equivocada. O impressionante do casamento é que, sendo tão diferentes, homem e mulher são unidos numa aliança indissolúvel, para se tornarem uma só carne. As diferenças existem, entretanto, não para destruir o relacionamento, mas para enriquecê-lo; não para separar o casal, mas para complementar a relação conjugal.
Rev. Hernandes Dias Lopes                           Blog Palavra da Verdade
***
Em Cristo,
Mário

terça-feira, 21 de maio de 2013

CALVINISTAS SECTÁRIOS


Por Fabio Campos

Texto base: “Aceitem entre vocês quem é fraco na fé sem criticar as opiniões dessa pessoa”. (Rm. 14: 1 NTLH) / “Quem é você para julgar o escravo de alguém? Se ele vai vencer ou fracassar, isso é da conta do dono dele. E ele vai vencer porque o Senhor pode fazê-lo vencer”. (Rm. 14: 4 NTLH)

Antes de começar a discorrer o assunto conforme o tema preciso deixar alguns esclarecimentos e o alvo da reflexão. Quando digo “calvinista” não me refiro ao ensino calvinista. Meu alvo são aqueles que têm por comportamento o “sectarismo” no relacionamento com outros irmãos, os quais tem por opção outra linha teológica dentro da ortodoxia cristã. Este artigo não se refere em nada aos que professam uma fé diferente da cristã bíblica, nem dos apostatas, nem das seitas. Mas sim daqueles que estão em uma igreja séria, que professam a fé cristã no ensino correto da ortodoxia bíblica, porém se comportam de forma sectária.

Mesmo sendo pentecostal dispensacionalista, posso dizer que sou mais calvinista do que armíniano (se ao ler esta frase você fez “careta”, esta mensagem é para você). Tenho um grande apreço pela teologia reformada! Creio ser ela a interpretação mais coerente com as Escrituras! Não dá para negar a predestinação na qual tem por base mais de quarenta versículos, a obra monergista do Espírito, a eleição e Soberania de Deus.

Meu aborrecimento com alguns irmãos é a vanglória disfarçada de “glória de Deus”. Eles se vangloriam mais na TULIP (acróstico dos cinco pontos do calvinismo) do que no evangelho de Cristo. Suas pregações são repetitivas! Falam mais de Calvino do que de Paulo. Não se gloriam do evangelho conforme disse Paulo, mas sim do compêndio ensinado pelos reformadores. Quando se deparam com algum irmão pentecostal ou neopentecostal sua fisionomia muda! Não têm amor suficiente para acolher o débil na fé sem discutir assuntos polêmicos (Rm 14:1)!

Segundo o dicionário de Teologia da Editora Vida, Sectário significa “devoção rígida a uma seita. Refere-se à crença que esse ou aquele grupo é a verdadeira igreja, com EXCLUSÃO DE TODOS OS DEMAIS GRUPOS, CONSIDERADOS FALSAS IGREJAS”. Entendeu agora o porquê do tema? Quem não conheceu um calvinista com essas características!?

A soberba fomentada pelo “saber” toma conta do coração desses irmãos. A falsa piedade serve de mascara para esconder o orgulho de ser “protestante”, ou seja, SOU do contra! Pensam: “sou revolucionário”. O irmão Solano Portela foi muito feliz quando disse acerca do orgulho espiritual: “Nós calvinistas precisamos nos acautelar para não seguirmos esta trilha tão repisada da igreja. Não podemos nos considerar imunes ao desenvolvimento de uma atitude de que ‘nós reformados’ somos iluminados, únicos entendedores das verdades divinas que se encontram veladas à grande parte dos crentes comuns, a não ser que recebam a explicação lógica e incontestável de nossa parte. Muitos calvinistas têm se deixado pela SÍNDROME DA PÓLVORA passando a demonstrar o mais evidente orgulho espiritual, no relacionamento com os irmãos, prejudicando o testemunho da fé reformada”.

Paulo nos diz que “o amor é o elo da perfeição” (Cl. 3:14). Seremos conhecidos como filhos de Deus quando “amarmos com o seu amor” (Mt. 5: 44-45). Se dissermos estar na luz, logo amamos nosso irmão, do contrário, estaremos em trevas (1 Jo. 2: 9-11). Quem não ama seu irmão é homicida (1 Jo. 3: 15). Seremos reconhecidos como discípulos de Jesus não pelo nosso conhecimento teológico, nem pelo fato de sermos calvinistas, nem armínianos, mas sim em amarmos uns aos outros (Jo. 13: 35).

Uma das coisas mais ridículas é a zombaria nos blogs “apologéticos” com irmãos pentecostais! E se o Senhor os acolheu? Creio que você não é o dono deles, mas sim Deus, O qual firmará seus pés para que não tropecem! Tem blog que iria publicar uma notícia a cada dia envolvendo os irmãos de coríntios. Imagine os postes carregados de piadinhas a respeito daquela pobre igreja carnal. O verdadeiro amor corrige em graça, chora com o erro, se alegra quando alguém acerta! Foram estas as atitudes de Paulo concernente às igrejas que tinham problemas doutrinários. Nisto fica o temor devido a Deus: cada palavra nossa será usada para condenação ou justificação.

Lembre-se, Deus escolheu alguns nos quais você jamais escolheria! Os armínianos, pentecostais, neopentecostais, estes sendo sinceros em sua fé, provam ser escolhidos de Deus. E quem os condenará? É Deus quem os justifica! De fato, não me gloriarei na teologia reformada, nem na pentecostal, nem tão pouco na wesleyana (todas são bênçãos), mas apenas no evangelho de Cristo, no qual o amor é o adjetivo para qualificar “o perfeito” (Jo. 5: 48). Deus é amor! Se Ele te tolera com sua mediocridade mental, sendo ELE Um ser infinito em sabedoria, poder e santidade, por que você não tolera seu irmão que discorda de você em aspectos secundários da fé? O irmão Portela disse: “A nossa intransigência deve limitar-se àquelas coisas que estão perturbando os pontos fundamentais do evangelho, porém a caridade cristã, o amor de Cristo, deve ser refletido em nossas atitudes, derramando-se sobre todos aqueles que foram resgatados pelo precioso sangue de Cristo”.

Fico chateado quando alguns dizem que o pentecostalismo entre outros ensinos secundários são heresias: O puritano John Owen em defesa a tolerância, neste quesito diz: “… mas, geralmente, erros ocorrem em coisas de difícil compreensão, que não são tão claras e evidentes… Com relação a tais erros, é muito difícil classifica-los de heresias. A sensibilidade de nossos próprios males, falhas, incompreensões, escuridão e o nosso conhecimento parcial, deveria operar em nós uma opinião caridosa para com as pobres criaturas que, encontrando-se em erro, assim estão com os corações sinceros e retos, com postura semelhante aos que estão com a verdade”.

“A intolerância religiosa já matou várias pessoas! O que dizer dos afogamentos dos “Anabatistas”? Você acha que isso passará em branco diante de Deus? Jesus e os apóstolos morreram pela fé, mas nunca mataram! Os fanáticos argumentam: “os magistrados foram constituídos para isso”. Sim, mas a bandidos e não pela opção teológica! Em 1648 John Owen pregou um extenso sermão no parlamento Britânico, na Câmara dos Comuns, intitulado “Sobre Tolerância”, no qual defendeu, mais uma vez a demonstração do amor cristão e a não intervenção dos poderes governamentais nas diferenças de opiniões eclesiásticas. É inadmissível a atitude que Zuínglio teve ao incitar as autoridades a perseguir os “Anabatistas” em nome desta “verdade”, na qual não reflete de fato a Cristo, a Verdade com V maiúsculo! Os fariseus hipócritas encaminharam tal demanda ao império Romano para matar ao Senhor Jesus e os apóstolos em nome da Lei de Moisés. Qual a diferença? De fato cumpriram toda a Lei? amaram a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmos?

Se tivermos que nos gloriar em algo, que seja apenas no evangelho! Deus salvou alguns da igreja de Corinto, a qual você, com seu manuseio teológico, os jogariam no inferno! Fica a frase do Rev. Ian Hamilton, da Escócia para nossa reflexão: “A graça de Deus deveria adoçar nossas discordâncias. Existe um grande perigo de absolutizar a nossa forma de fazer as coisas. Devemos nos apegar àqueles que se apegam a Cristo”.

“E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição”. (Colossenses 3:14 AFC).

SOLI DEO GLORIA!

Referencias bibliográficas: Cinco Pecados que ameaçam os Calvinistas; Portela, SOLANO; Ed. PES (Publicações Evangélicas

***

Fonte: Blog do Fábio Campos. Divulgação: Púlpito Cristão/JESUS É O SENHOR
***
Em Cristo,
Mário César de Abreu

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Exploradores da fé usam a culpa, medo e ganância, diz Ed René Kivitz


O pastor ministrou sobre a religião e a espiritualidade e comentou sobre os pastores que exploram a fé dos fiéis

por Leiliane Roberta Lopes

Exploradores da fé usam culpa, medo e ganância, diz Ed René Kivitz

O pastor Ed René Kivitz fez uma pregação alertando para algumas táticas usadas por pastores para explorar a fé dos fiéis. O vídeo da pregação foi postada no Youtube na no dia 13 de maio e já foi visto mais de 90 mil vezes.

“Comercializar religião é melhor que vender droga. Se não pegar na culpa e no medo, pega na ganância”, diz o pastor da Igreja Batista da Água Branca.

Algumas frases bastante comuns em igrejas neopentecostais foram ditas pelo pastor que contou um exemplo de uma mulher que foi até a Igreja Universal a pedido de seu pai que estava com câncer terminal.

Depois de passar por três vezes pelo corredor de oração, a mulher e seu pai – que estava na cadeira de rodas, foram levados para uma sala onde o pastor pediu uma oferta para compensar a falta de fé que não resultou na cura imediata do enfermo.

“Você percebeu como a religião tem um potencial diabólico, escravizador que é um campo para oportunista mal caráter?”, questionou Kivitz, lembrando que as principais vítimas são as pessoas que sofrem.

“Esta religiosidade não tem absolutamente nada a ver com o Evangelho de Jesus Cristo, não tem nada a ver com a espiritualidade cristã. Porque se você pegar a espiritualidade cristã ela tem a ver com a cruz do calvário”, explica.

Usando a Bíblia, Ed René Kivitz desmente diversas mensagens pregadas nas igrejas falando sobre a maldição, dizendo que ela foi quebrada na cruz do calvário.

LINK PARA A MENSAGEM COMPLETA:http://youtu.be/3v7TZ_92Wlc
***
Em Cristo,
Mário

Oficialização do “casamento” homossexual pelo CNJ: força ou fraqueza do movimento homossexual? – Saiba como fazer sua parte para defender a família



Mesmo apesar da massiva oposição do público contra o "casamento" homossexual (foto de 5/5/13), tal lei foi aprovada na França. No Brasil, os ativistas homossexuais tentam também impor sua agenda. Se fizermos nossa parte, suas "conquistas" não durarão. Se nos acomodarmos... Veja como fazer sua parte contra a oficialização do "casamento" homossexual no Brasil, pelo Conselho Nacional de Justiça.
Daniel F. S. Martins
O Conselho Nacional de Justiça acaba de aprovar uma resolução queobriga todos os cartórios do Brasila fazer a celebração e registro de“casamentos” entre homossexuais(OESP 15/5/13). Segundo vários especialistas já comentam, o CNJ exorbitou de suas funções, e passou por cima do Congresso Nacional, a quem caberia votar a questão. Outros já apontam que necessariamente acontecerá a adoção oficial de crianças pelos ditos “casais”, pois o falso “casamento” fica igualado ao que Deus fez: um homem e uma mulher.
Não quero comentar aqui sobre a gravidade do fato. A Lei de Deus, que se reflete na Lei Natural, deve ser respeitada por todas as autoridades e, enquanto expressa na moral, serve como baliza para a sociedade (e cada homem em particular) não cair nos piores barbarismos.
Nesta matéria, quero deixar claro que minha posição é a do Pe. David Francisquini em seu livro “Homem e Mulher, Deus os criou”, quando diz, na Introdução: “Não temos como objetivo difamar ou injuriar ninguém. Não nos move o ódio pessoal contra quem quer que seja. Visamos defender o matrimônio, a família e as preciosas instituições e normas da civilização cristã na sociedade”.
Pretendo chamar a atenção do leitor para outros aspectos, por assim dizer estratégicos, que esta notícia envolve:
1 – A agenda homossexual tem sofrido, em todo o mundo, uma grande derrota no que diz respeito à sua aceitação pela opinião pública. As reações aumentam dia após dia. No Brasil, projetos de lei de “casamento” homossexual ou “lei de homofobia”  não passam no Congresso, e sempre levantam consideráveis contravapores. Bastou o dep. Marcos Feliciano levantar a voz contra dita agenda, embora não falando do ponto de vista católico, para seu partido em poucos meses multiplicar o número de filiados, e seu prestígio aumentar consideravelmente.
2 – Diante dessa aversão do público nos últimos meses, os ativistas homossexuais tinham dois caminhos. Esperar a poeira baixar e voltar à carga mais tarde, após adormecer as reações com a propaganda melosa dos slogans “todos têm o direito de se amar”, “veja como os homossexuais são perseguidos”, etc. Esse seria o caminho mais demorado, mas mais seguro para sua agenda, sobretudo contando – por que não dizer? – do silêncio inexplicável e do apoio por debaixo dos panos de tantos eclesiásticos, que evitam que a opinião católica se levante, e pelo contrário, que aceite ao menos alguns pontos da dita agenda.
3 – O segundo caminho seria passar por cima dessas reações, usando todas suas armas, desde a guarida incondicional que lhes dá a grande mídia internacional, até os cargos e influências que possuem nos mais altos páramos do poder público.
4 – Por que decidiram tomar o segundo caminho, em escala internacional? (vide França e EUA!). Por que optaram pelo mais arriscado para sua agenda? A resposta parece saltar aos olhos: seus slogans de “tolerância”, de “amor”, de “liberdade” estão ficando desmascarados, e já não mais seduzem as massas. Em desespero de causa, lançam mão de meios a bem dizer totalitários para impor sua nefasta agenda.
Clique na foto e veja o vídeo que mostra a verdadeira face do movimento homossexual.
A pergunta que fica é: se os ativistas homossexuais continuarem passando por cima das reações sadias da opinião pública, que durabilidade terão suas conquistas?
Deixo a resposta ao leitor. Mas adianto de minha parte o que depende de nós. Se confiantes no auxílio da Providência, denunciarmos os passos dessa agenda homossexual, as ditas “conquistas” valerão como vitória de Pirro. Se nos acomodarmos, em breve nos acostumaremos com essas “conquistas”, para prejuízo nosso e sobretudo de nossos filhos.
Portanto, leitor, faça sua parte:
1 – Escreva um email aos principais jornais de sua cidade, protestando contra o ocorrido (veja uma lista pronta para facilitar, clicando aqui)
2 – Mostre a seus amigos a verdadeira face do movimento homossexual. Veja um impressionante vídeo clicando aqui e espalhe entre seus contatos.
***
Em Cristo,
Mário

THALES ROBERTO E A IDOLATRIA GOSPEL



Por Renato Vargens

Hoje a tarde, depois de ouvir uma canção composta por Thalles Roberto, escrevi o seguinte no Facebook:

“Prefiro pensar que o cantor Thalles Roberto escreve letras pobres e desprovida de boa teologia por ignorância e não por manipulação religiosa. Sinceramente a letra da música “Filho meu” é uma das mais heréticas que tive oportunidade de ouvir nos últimos meses. Ora, desde quando Deus corre atrás, oferece promessa arquivada, leva porta na cara e chora? Complicado não é verdade? Até quando a igreja brasileira continuará consumindo lixo? Até quando continuaremos cantando bobagens como essa em nossos cultos? Pois é, que Deus tenha misericórdia do seu povo.”

Pois é, foi só eu emitir uma critica quanto a letra da música entoada pelo famoso cantor que lá veio pedrada. O Interessante é que os argumentos utilizados pelos adeptos do movimento gospel são sempre os mesmos:

Não Julgue o irmão, isso não nos cabe…
Cuidado! Não toque no ungido do Senhor…
O que importa é que Cristo está sendo pregado…

Caro leitor, infelizmente diante do comportamento de muitos irmãos que super valorizam os cantores gospel, sou levado a conclusão que a idolatria tomou de assalto os nossos arraiais. Ora, ouso afirmar que movimento gospel foi o responsável pelo aparecimento de “idolos” entre os evangélicos. Do Oiapoque ao Chuí é comum observarmos a idolatria evangélica por parte de adolescentes e jovens que tem venerado seus cantores e artistas preferidos. Se não bastassem os fãs clubes evangélicos, cuja existência se fundamentam em exaltar seus ídolos, eis que alguns dos crentes em Jesus, optaram por transformar seus cantores prediletos em um tipo de deus.

Há pouco fiquei sabendo que o Thalles para vergonha nossa lançou no mercado um boneco chamado Thalleco.

Pois é, confesso que estou assustado com o rumo da igreja evangélica brasileira. Lamentavelmente parte dos evangélicos tem acreditado num evangelho absolutamente diferente do pregado por Jesus e pelos apóstolos.

Diante do exposto, resta-nos chorar diante do Senhor pedindo a ele que nos perdoe os pecados e mude definitivamente os rumos da Igreja de Cristo.

Maranata Senhor Jesus!

***

Fonte: Blog do Renato Vargens. Divulgação: Púlpito Cristão/JESUS É O SENHOR
***
Com indignação,
Mário

Alguns Princípios Cristãos sobre o Lazer e Entretenimento


Postado por Augustus Nicodemus Lopes

Faz algum tempo acompanhei uma discussão entre jovens cristãos, pela Internet, sobre a ida a shows de artistas famosos. Após uma boa troca de mensagens, postei a mensagem abaixo sobre alguns princípios cristãos sobre o lazer. Fica para a reflexão de quem se interessar:

Queridos,

Acho que o método certo para analisarmos esta questão e outras é estabelecermos os princípios bíblicos que controlam o assunto. Sem o referencial bíblico ficaremos às apalpadelas. Menciono alguns princípios bíblicos que controlam a questão do LAZER do crente -- pois é aqui que se encaixa o assunto.


1. É dever do crente fazer todas as coisas para a glória de Deus. Isto inclui o lazer. Portanto, qualquer forma de lazer em que o crente não consiga glorificar a Deus deveria ser questionada. Esclareço que eu iria a um show de artistas cujo conteúdo, ambiente, letra das músicas, apresentação pessoal dos artistas (alguns se apresentam semi-despidos) não ofendam as virtudes cristãs nem os valores morais do Cristianismo.

2. Também é dever do crente desfrutar com moderação de todas as coisas boas que Deus criou, usando com moderação a alegria, o sono, a alimentação, os exercícios e certamente o lazer também. O lazer não pode se transformar num ídolo, e receber o primeiro lugar em minha vida. Cristo é quem deve ter esta prioridade.

3. O cristão deve evitar todas as ocasiões à impureza, em que a tentação é maior e mais pesada; deve evitar a sociedade com ímpios e devassos; sua mente deve estar sempre ocupada com "tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento" (Fp 4:8). Tenho certeza que a letra de algumas músicas de alguns artistas não se pode encaixar aqui. Não vejo como um crente pode descontrair-se e agitar-se ao som de uma música que exalta a infidelidade conjugal ou idolatra o homem ou a mulher.

4. Compete ao cristão também "examinar todas as coisas e reter o que é bom". Não devemos reter o mal e nem nos deliciarmos nele. Se estou escutando uma música que exalta o amor homossexual, ou a violência contra a mulher, ou o adultério, ou uma relação promíscua, certamente não devo ter prazer algum nestas coisas. Por outro lado, tem muita letra boa e sã, sem maldade ou malícia. Tudo OK, nestes casos. A graça comum de Deus permite que algumas coisas boas ainda sejam produzidas pela humanidade não regenerada.

5. Por último, o amor a Cristo e ao próximo precede o uso da liberdade cristã. Se no uso da minha liberdade irei ser escândalo para o Evangelho ou outros irmãos, me compete abrir mão por amor.

Apesar da "cultura de proibição de programas para a juventude" que foi mencionada numa mensagem da lista, não podemos esquecer que o crente é escravo de Deus e que tem com única regra de fé e prática a Bíblia. Até na hora de descontrair.

Um abraço,
Pr. Augustus
***
Fonte: http://tempora-mores.blogspot.com.br/
***
Em Cristo,
Mário César de Abreu

sábado, 18 de maio de 2013

IRMÃO ANDRÉ: A BÍBLIA É PERIGOSA




17 de maio de 2013


Não há nenhuma contribuição maior que podemos fazer ao mundo de hoje senão restaurar perante todos a autoridade da Palavra de Deus. Como fazer isso? Sendo pessoas de um só Livro. Pessoas que creem no Livro, que agem de acordo com as verdades contidas no Livro, que estudam o Livro e que transmitem o Livro.

Aproveitemos a liberdade que temos de poder fazer uso do Livro em nosso país. Muitos não podem nem sequer falar sobre ele em lugares onde o simples fato de possuir uma Bíblia ou confessar a fé cristã é motivo para ser perseguido.

Confira o vídeo do Irmão André:

***
Em Cristo,
Mário César de Abreu

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Prioridades na família


Por Rev. Hernandes Dias Lopes

A família é um projeto de Deus. Foi a primeira instituição divina. E foi criada para a glória de Deus e nossa felicidade. Para que a família colime esse elevado propósito, necessário se faz que observemos algumas prioridades.

Em primeiro lugar, Deus precisa vir antes das pessoas. Devemos amar a Deus com toda a nossa alma e de toda a nossa força. Devemos buscar em primeiro lugar o seu reino e a sua justiça. Para ser um discípulo de Jesus é preciso estar disposto a deixar pai e mãe e amá-lo mais do que qualquer outra pessoa, por mais achegada que seja a nós. Deus ocupa o primeiro lugar em nossa vida, ou então, ainda não sabemos o que é segui-lo. O que é importante destacar é que, quanto mais amamos a Deus, mais amamos nossa família e mais fortes ficam nossos relacionamentos interpessoais. A nossa relação com Deus cimenta os demais relacionamentos, colocando-os dentro de uma correta perspectiva.


Em segundo lugar, o cônjuge precisa vir antes dos filhos. Pecam contra o cônjuge e contra os filhos, aqueles que colocam os filhos em primeiro plano e o cônjuge em segundo plano. O maior presente que podemos dar aos nossos filhos é amar, com desvelo, o nosso cônjuge. A maior necessidade dos filhos é ver o exemplo dos pais. Não há família saudável onde os relacionamentos estão fora dos trilhos. Investimos nos filhos, quando investimos em nosso casamento. Cuidamos dos filhos, quando priorizamos nosso cônjuge.


Em terceiro lugar, os filhos precisam vir antes dos amigos. Precisamos ter discernimento para buscarmos as primeiras coisas primeiro. Nossos amigos são importantes, mas nossos filhos são mais importantes. Aqueles que não cuidam da sua própria família estão em total descompasso com o projeto de Deus. Não podemos sacrificar nosso relacionamento com os filhos para dar mais atenção aos nossos amigos. Nenhum sucesso vale a pena quando o preço a pagar é o sacrifício dos nossos filhos. Os pais precisam entender que seus filhos são prioridade. Precisam investir neles o melhor do seu tempo e o melhor de seus recursos. Precisam criá-los na admoestação e na disciplina do Senhor. Não podem procá-los à ira para quem não fiquem desanimados.


Em quarto lugar, as pessoas devem vir antes das coisas. Vivemos numa sociedade materialista e consumista. As prioridades estão invertidas. As pessoas esquecem-se de Deus, amam as coisas e usam as pessoas. Devemos, ao contrário, adorar a Deus, amar a pessoas e usar as coisas. Quando colocamos coisas no lugar de pessoas tornamo-nos insensíveis e apartamo-nos do projeto de Deus. Há pessoas que, infelizmente, têm mais cuidado com o carro do que com os membros da família. São mais zelosos com seus objetos pessoais do que com os relacionamentos dentro de casa. Amam mais os bens materiais do que os membros da família.


Em quinto lugar, o reino de Deus precisa vir antes dos nossos projetos. Temos visto muitos crentes dando para a Deus a sobra dos seus bens, de seus talentos e do seu tempo. São pessoas que só se preocupam com as coisas terrenas. Correm atrás de seus próprios interesses enquanto a obra de Deus fica relegada a segundo plano. Essas mesmas pessoas, nas palavras do profeta Ageu, semeiam muito e colhem pouco; vestem-se, mas não se aquecem; comem, mas não se satisfazem; e o salário que recebem, colocam-no num saco furado. O pouco que trazem, Deus o assopra, porque não aceita sobras, uma vez que requer primícias. Precisamos buscar em primeiro lugar o reino de Deus. Precisamos investir as primícias da nossa renda na promoção do reino de Deus. Precisamos investir em causas de consequências eternas. Nossa felicidade pessoal e familiar alcançarão sua plena realização, quando essas prioridades estiverem alinhadas em nossa vida!
***
Fonte: Palavra da Verdade

sexta-feira, 10 de maio de 2013

ENTENDENDO O EVANGELHO DE CRISTO JESUS

Por Mário César de Abreu

Amados,quando conheci o evangélho,eu tinha 15 anos de idade e como minha família não era crente, foi um susto para meus pais porque naquela época existia uma diferença muito grande entre o crente que seguia o verdadeiro cristianismo e as outras religiões. Nossa fé ,quando legítima, escandaliza o mundo-"Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus."  (I Coríntios 1 : 18)
Quero discorrer  aqui,sobre este  evangélho puro e eficaz do Senhor Jesus que me foi apresentado e que se encontra na bíblia.

Temos vivido momentos difíceis pois hoje, se tem ensinado um "outro evangelho" o qual na verdade, não é outro como diz o apóstolo Paulo em sua carta aos gálatas:"O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo."  (Gálatas 1 : 7);como vemos, na época de Paulo já existia "alguns" que queriam "transtornar" o evangelho e Paulo adverte:"Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema."  (Gálatas 1 : 8)  anátema (latim eclesiástico anathema, -atis, do grego anáthema, -atos, oferenda, coisa maldita, maldição) maldito, excomungado.
O apóstolo deixa claro que se ele mesmo ou um anjo ou qualquer outro ensinar um evangélho distorcido com acréscimos ou decréscimos deverá ser maldito e excluido do meio cristão e estará sujeito ao juízo de Deus. Ele reforça logo em seguida:"Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema."  (Gálatas 1 : 9).

Quando eu disse que os dias hoje são difíceis, me refiria aos ensinamentos errados sobre Deus e o evangélho; ensinam em muitos lugares que se pode comprar as bençãos do Senhor com ofertas,ensinam que devemos "determinar" a benção e a vitória e vivem nos dizendo que devemos "lançar" aos ouvidos de Deus versículos e mais versículos da bíblia que falam de alguma promessa que Ele nos fez. Este não é o evangélho que conheci,este é o evangelho adulterado que é pregado por homens que estão sob o juízo do Senhor e segundo Pedro,logo serão destruídos:  Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.(2 Pedro 2:1).

Falemos enfim, do verdadeiro evangélho,aquele que salva,liberta e também traz ao homem a conciência de seus deveres diante de Deus. A palavra evangélho vem do grego e significa "boa notícia" e a boa notícia é esta: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."  (João 3 : 16).O evangélho é a mensagem de salvação que temos em Jesus Cristo.

 Para entender melhor esta mensagem,temos que entender por que o homem precisa de salvação. A bíblia ensina que o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus (Gênesis 1:27) mas,desobedeceu a Deus (Gênesis 3) separando se assim do Senhor,seguindo o seu próprio caminho, tornando se um pecador e portanto está condenado a passar a eternidade longe da presença de Deus. Veja o que a bíblia diz:"Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;"  (Romanos 3 : 23);"Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor."  (Romanos 6 : 23).

A única esperança do homem é Jesus, não existe em nós força,bondade e justiça suficientes para conquistarmos a salvação por nós mesmos; somos devedores à Deus,merecemos o castigo pois nos rebelamos contra o Criador que é Santo e Justo e não aceita o pecado.

Agora sim a mensagem de salvação do evangélho faz sentido. Deus em sua infinita misericórdia mandou Seu Filho,Jesus Cristo, que morrendo na cruz, pagou nossa dívida e tem o poder de  nos levar de volta à comunhão com o Senhor,basta nos ter fé,crer em Cristo e sua obra por nós:"Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo;"  (Romanos 5 : 1).

Tendo paz com Deus começamos uma nova vida: "Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo."  (II Coríntios 5 : 17),que inclui guardar Sua palavra:"Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele."  (João 14 : 21) que inclui também,trilhar caminhos retos:"Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores."  (Salmos 1 : 1).

Amados, não podería deixar de falar da ressurreição do Senhor Jesus que nos garante a vitória sobre o pecado e a morte,que nos abre as portas para o reino de Deus, a ressurreição de Jesus nos mostra entre outras coisas,que Deus aceitou o sacrifício substitutivo de Jesus por nós e estamos livres da ira de Deus,basta crer. E aconteceu que, estando elas muito perplexas a esse respeito, eis que pararam junto delas dois homens, com vestes resplandecentes. E, estando elas muito atemorizadas, e abaixando o rosto para o chão, eles lhes disseram: Por que buscais o vivente entre os mortos? Não está aqui, mas ressuscitou.(Lucas 24:4-6a)

Leia mais sobre este evangélho na bíblia,a Palavra de Deus e descubra as bençãos que Ele tem para aqueles que o buscam e o adoram.

Em Cristo,
Mário César de Abreu

quarta-feira, 8 de maio de 2013

O NOVO NASCIMENTO


A Paz do Senhor amados,
Vejam este vídeo,será uma benção na vida de todos.

Mário



Fonte: Programa Verdade e Vida da IPB.
***
Em Cristo,
Mário César de Abreu

Quem é Deus: criador ou criatura?






A Revista Veja, de 11 de fevereiro de 2009, celebrando os duzentos anos do nascimento de Charles Darwin, publicou uma matéria insolente atacando a fé cristã. O livro de Darwin, Origens das Espécies, publicado em Londres, em 1859, falando sobre a geração espontânea e a evolução das espécies tornou-se uma crença generalizada, especialmente em alguns redutos acadêmicos.


O núcleo central da teoria de Darwin é que o mundo e o homem tiveram uma origem naturalista. Até então, cria-se que Deus havia criado o homem; agora, crê-se que o mundo pariu a si mesmo e o homem é fruto de um processo evolutivo de milhões e milhões de anos. Na teoria de Darwin, Deus não existe. Ele é apenas uma criação do homem em vez do homem ser criação de Deus.


Em favor da verdade, nós precisamos reafirmar que não há contradição entre a ciência e a fé cristã. A ciência corretamente interpretada jamais entrará em contradição com a Palavra de Deus, pois ambas têm o mesmo autor. Precisamos de igual forma ressaltar, que a evolução não é uma ciência, mas uma teoria. Falta à evolução a evidência das provas. O próprio livro de Darwin tem nada menos que oitocentos verbos no futuro do subjuntivo: "Suponhamos". A evolução não passa de uma suposição e absolutamente improvável. A fé cristã por sua vez não é uma crença vazia, desprovida de inteligência. Nossa fé está ancorada em fatos incontroversos. A fé é a certeza de coisas e a convicção de fatos. O Deus revelado na criação, nas Escrituras e em Cristo é o criador do universo e não uma criatura do homem. Chamamos sua atenção para três fatos importantes:


1. Precisamos mais fé para acreditar na evolução do que na criação -
O mundo não pode dar à luz a si mesmo. A vida não pode surgir do nada. Vida só procede de vida. O mundo com toda a sua complexidade não poderia ser produto do acaso nem de uma explosão cósmica nem mesmo de uma evolução de milhões e milhões de anos. As evidências provam que o mundo não está evoluindo, mas se deteriorando. A ciência corrobora com o relato da criação e não com as improváveis e tendenciosas teorias da evolução. Os evolucionistas que combatem a fé cristã não estão ancorados na rocha da ciência, mas navegando à deriva, pelos mares revoltos de suas teorias improváveis.


2. Precisamos mais fé para acreditar que Deus é criatura do homem do que para acreditar que o homem é criatura de Deus - A teoria de que Deus é apenas uma invenção humana tem conseqüências funestas. A teoria da evolução trouxe seus reflexos na biologia, na filosofia e também na teologia. Essa crença de que o homem inventou Deus e que o homem veio do nada, é nada, e caminhada para o nada, é o alicerce do niilimismo filosófico, da decadência moral e das atrocidades históricas. O holocausto que matou seis milhões de judeus na Segunda Guerra Mundial, as barbáries hediondas dos regimes totalitários, ceifando mais de sessenta milhões de pessoas, só no século XX, são fruto desta ensandecida teoria. A prática indiscriminada de aborto e os descalabros morais são conseqüência do ateísmo. Dostoievski disse: "Se Deus não existe, tudo é permitido".


3. Precisamos mais fé para acreditar que o cosmos veio do caos do que para acreditar que o cosmos veio de Deus - A teoria do big-bang, de que o universo surgiu de uma explosão cósmica está na contramão do bom senso. Seria mais fácil acreditar que um bilhão de letras lançadas ao ar caísse na forma de enciclopédia. Seria mais fácil acreditar que um rato correndo atabalhoadamente sobre as teclas de um piano tocasse serenata ao luar. O caos não pode produzir ordem. O universo tem leis precisas. Nós somos seres programados geneticamente. A biologia moderna aponta para uma mente sábia e criadora por trás do universo. Só o insensato é que nega a existência de Deus. Suas teorias podem até fazer barulho e enganar os incautos, mas em breve, elas se cobrirão de poeira. A Palavra de Deus, porém, permanecerá impávida, sobranceira e vitoriosa para sempre e sempre!

Rev. Hernandes Dias Lopes  ***  Blog Palavra da Vida
***
Em Cristo,

Mário César de Abreu

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Aprendendo com Jesus na escola da oração



Convido você a matricular-se na escola da oração. O nosso mestre maior é o próprio Filho de Deus. Aprendamos com ele! Destacamos três fatos acerca do ministério de oração de Jesus.

1. O cansaço físico não impedia Jesus de orar – Jesus levantou-se alta madrugada, depois de um dia intenso de trabalho, e foi para um lugar deserto para orar. Ali ele derramou o seu coração em oração ao seu Pai Celeste. Jesus entendia que intimidade com o Pai devia preceder o exercício do ministério. Jesus deu grande importância à oração. Ele mesmo orou quando foi batizado (Lc 3.21). Orou uma noite inteira antes de escolher os doze apóstolos (Lc 6.12). Ele se retirava para orar quando a multidão o procurava apenas atrás de milagres (Lc 5.15- 17). Ele orou antes de fazer uma importante pergunta aos discípulos (Lc 9.18) e também orou no Monte da Transfiguração, quando o Pai o consolou antes de ir para a cruz (Lc 9.28). Ele orou antes de ensinar seus discípulos a “Oração do Senhor” (Lc 11.1). Jesus orou no túmulo de Lázaro (Jo 11.41-42). Orou por Pedro, antes da negação (Lc 22.32). Orou durante a instituição da Ceia (Jo 14.16; 17.1-24). Orou no Getsêmani (Mc 24.32), na cruz (Lc 23.34) e também após a ressurreição (Lc 24.30). Hoje ele está orando por nós (Rm 8.34; Hb 7.25). Se Jesus que era santo, inculpável, puro e apartado dos pecadores orou continuamente, quanto mais nós que somos sujeitos à fraqueza! Se ele foi encontrado necessitando orar com alto clamor e lágrimas (Hb 5.7), quanto mais nós devemos clamar por nós, que ofendemos a Deus diariamente de tantas formas!

2. A oração para Jesus era intimidade com o Pai e não desempenho diante dos homens – Jesus buscava mais intimidade com o Pai do que popularidade (Mc 1.35). Ele era homem do povo, mas não governado pela vontade do povo. Sempre que os homens o buscavam apenas como um operador de milagres, viu nisso uma tentação, mais do que uma oportunidade e refugiava-se em oração. O evangelista Marcos registra três momentos quando Jesus preferiu o refúgio da oração: Primeiro, depois do seu bem-sucedido ministério de cura em Cafarnaum, quando a multidão o procurava apenas por causa dos milagres (Mc 1.35-37); segundo, depois da multiplicação dos pães e peixes, quando a multidão o queria fazer rei (Mc 6.46) e terceiro, no Getsêmani, antes da sua prisão, tortura e crucificação (Mc 14.32-42).

3. Jesus dava mais valor à comunhão com o Pai do que ao sucesso diante dos homens – A multidão deseja ver a Jesus novamente, mas não para ouvir sua Palavra, porém, para receber curas e ver operações de milagres (Mc 1.37). Certamente Pedro não discerniu a superficialidade da multidão, sua incredulidade e sua falta de apetite pela Palavra de Deus. Todo pregador é fascinado com a multidão, mas Jesus algumas vezes, fugiu dela para refugiar-se na intimidade do Pai através da oração. A intimidade com Deus em oração é mais importante do que sucesso no ministério. O pregador que busca intimidade com Deus mais do que popularidade diante dos homens sabe ir ao encontro das multidões e também fugir delas. É tempo de nos matricularmos na escola de oração de Jesus e aprendermos com ele a nos deleitarmos em Deus numa vida abundante de oração!


Rev. Hernandes Dias Lopes      Blog: Palavra da Verdade
***
Em Cristo,
Mário


quinta-feira, 2 de maio de 2013

O dia em que as cartas pararam de chegar…



No início da minha carreira missionária o sistema de comunicação era bem diferente do que temos hoje, o mundo parecia maior e as distâncias mais longas. Lembro-me do dia em que estava na Missão Antioquia e senti o chamado de Deus para a Índia, naquela época pouco ou quase nada se falava da Índia no Brasil, naquela mesma noite, depois da pregação onde tive meu coração aquecido com a chama missionária, subi à casa de oração que existia lá no Vale da Bênção, onde estava a Missão Antioquia, para buscar saber num mapa onde estava este país estranho, exactamente do outro lado do mundo. A viagem de avião para a cidade onde fui trabalhar na Índia, com as escalas, era feita em três dias.

A minha comunicação com o Brasil era feita basicamente através de cartas. Uma carta levava até um mês para chegar ao Brasil e depois mais um mês para receber a resposta, mas era uma espera gostosa. Quando o dinheiro permitia, usávamos o telefone, que não tinha em todo lugar, eram umas cabinas apertadas com uma espécie de contador que enquanto falávamos mostrava o valor a pagar pela ligação. Era tão caro que a ligação era um martírio, falávamos o básico necessário para poder desligar ou o dinheiro ia todo para o telefone. Então a alegria eram as cartas mesmo. Duas a três vezes na semana íamos ao correio central para buscar as cartas, era uma alegria tão grande que líamos ali mesmo, sentado no meio-fio ou escadas. Sempre havia umas três ou quatro cartas, longas, com fotos, contanto detalhes da vida, etc. Mesmo as cartas daqueles que não conhecíamos, geralmente enviadas em época de campanhas missionárias nas igrejas, mesmo estas eram cartas gostosas de ler e responder.

Depois a tecnologia chegou onde estávamos, o email. Mas não era assim como temos hoje, era do tipo que se enviássemos entre 10h e 17h, o destinatário recebia no mesmo dia, se não, só receberia no dia seguinte. E no fim de semana não funcionava. No inicio poucas pessoas tinham e-mail, então não prestava muito. Mas não demorou muito e o hotmail e yahoo dominaram a comunicação e passamos a fazer uso desta ferramenta. Mas algo começou a acontecer, a comunicação ficou cada vez mais superficial.

O mundo ficou menor, as distâncias encurtaram, a comunicação ficou praticamente de graça, mas em vez de aumentar nossos laços com familiares, amigos e igrejas, elas diminuíram. E para piorar, inventaram um tal “cc” ou “bcc” nos emails, que permite escrever a mesma coisa para milhares de pessoas ao mesmo tempo. Facilitou a comunicação e o espalhar da informação, mas a personalização se foi por completo. Confesso que não gosto dos meses de campanha missionária, pois recebemos inúmeras mensagens de igrejas e pessoas que não tem a mínima sensibilidade, pedem informações como se tivessem fazendo um orçamento em supermercado. Observamos que a mesma correspondência foi enviada para dezenas ou centenas de missionários e sempre com a mesma promessa: a “possibilidade” da oração e de uma ofertinha, que raramente, muito raramente mesmo, acontece. Sem contar quando não trocam nossos nomes e o campo onde trabalhamos e por ai vai.

Enfrento dois problemas, sou missionário velho no campo, isto significa que já estamos quase esquecidos, não pela igreja que nos enviou ou por nossa junta, mas para uma boa maioria daqueles que no passado nos escreviam. Missionário velho sai de moda, pois não conta novidade todo dia. E quem está interessado em saber de quem faz a mesma coisa há vinte anos? As redes de comunicação social substituíram a boa conversa pelos recados nos murais, e por ai vai. Uma lástima! Hoje a maioria dos e-mail que recebo são spams, e os poucos que recebemos de amigos são muitas vezes superficiais, e finalmente chegou o dia em que as cartas deixaram de chegar, a última que recebemos faz seis meses.

Este texto não é uma reclamação contra nossos amigos, é apenas um texto para nos fazer reflectir sobre o perigo da superficialidade nas relações e comunicação, principalmente na causa missionária. Com o tempo, parece que a relação com o missionário se torna cada vez mais institucionalizada e vazia de relacionamento. O missionário não vive apenas de dinheiro e oração congregacional, ele vive também de relacionamento, aliás o próprio Senhor Jesus disse que não é só de pão que vive o homem (Lc 4:4).

Eis algumas orientações básicas para quando se comunicar com um missionário: 1. Escreva o nome dele e do país onde ele trabalha correctamente. 2. Não envie sua mensagem no estilo “cc” ou “bcc”. É melhor escrever bem para um missionário do que para cem, mal escrito, e não receber uma resposta decente. 3. Escreva sobre você mesmo, como soube da existência do missionário. 4. Procure saber sobre o missionário através da junta de missões, e evite perguntas generalizadas e perguntas do tipo “conta-me tudo”. Se procurar saber sobre o missionário através da junta de missões poderá dizer-lhe: “sei que trabalham com formação teológica, como posso orar por seu trabalho?” Lembre-se, o missionário geralmente tem pouco tempo livre, acredite, é verdade! E responder a um email enviado por “cc” ou “bcc”, que me chama de Luis “Antônio” e me pergunta se o Peru é bonito, enquanto trabalho em Portugal, é algo improvável.

Vou terminar este texto por aqui, fazer um “copy and paste” e enviar pelo “bcc” para todos na minha lista, para quem sabe um ou dois lerem… se ler, ore por este missionário velho, sozinho e cansado. Se me escrever com carinho, prometo fazer como fazia Francisco Xavier, missionário jesuíta que levou o evangelho a Ásia, e que lia com lágrimas e oração as cartas que lhe enviava seu amigo Inácio de Loyola.

Rev. Luis A R Branco  
***
Fonte: blog do autor
***
Pensem nisso,
Mário César de Abreu

Rev Hernandes Dias Lopes Fala Sobre Homofobia E Homossexualidade




Rev Hernandes Dias Lopes fala sobre Homofobia e homossexualidade

Rev Hernandes Dias Lopes fala sobre Homofobia e homossexualidade. Em torno sobre a polêmica entre homossexuais e evangélicos, o Reverendo presbiteriano Hernandes Dias Lopes gravou um vídeo em que esclarece o ponto de vista cristão, sobre a homossexualidade, e homofobia.

No vídeo, o líder fala sobre homofobia e sobre a lei de Deus que não deve ser mudada.

“É preciso dizer que os cristãos não são homofóbicos. Se tem um e outro que se posiciona de tal forma, isso não expressa o pensamento cristão, evangélico, não expressa o pensamento bíblico.”

“O problema é querer que o cristão aceite como natural e legítimo aquilo que os princípios de Deus não permitem.”

“Não é a cultura que valida a Palavra de Deus, mas é a Palavra de Deus que julga as culturas.”

“Nós, cristãos, não podemos concordar com essa prática.”

Ao final do vídeo, o reverendo também comenta sobre a recente declaração da cantora Daniela Mercury, em assumir publicamente união homoafetiva com jornalista Malu Verçosa, ressaltando a naturalidade e enfâse e aceitação pela mídia:
Daniela Mercury após casar com mulher vai à igreja pedir proteção

Confira o vídeo:

Rev. Hernandes Dias Lopes fez o seu curso de Bacharel em Teologia no Seminário Presbiteriano do Sul em Campinas-SP no período de 1978 a 1981 e o seu Doutorado em Ministério no Reformed Theological Seminary, em Jackson, Mississippi, nos Estados Unidos no período de 2000 a 2001. Foi pastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Bragança Paulista no período de 1982 a 1984 e desde 1985 é o pastor titular da Primeira Igreja Presbiteriana de Vitória-IPB.
***
Fonte:http://www.amigodecristo.com
***
Em Cristo,
Mário

Postagem em destaque

CONFESSANDO OS PECADOS A DEUS

Por: Rev. Dr. Augustus Nicodemus 1João 1:8-10 O apóstolo João descreve nessa passagem duas maneiras de encararmos nossos pecados, e as...