sábado, 31 de maio de 2014

A Lei de Moisés ainda vale hoje?


De onde vem a prática dos evangélicos chamarem seus locais de reunião de "templo," o púlpito de "altar," os cantores de "levitas" e os pastores de "sacerdotes"? Qual o papel hoje da Lei de Moisés para os cristãos? Os Dez Mandamentos ainda estão em vigor? Assista o bate-papo com Mauro Meister e Daniel Santos:

Fonte: O Tempora O Mores



Em Cristo,
Mário

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Driscoll diz que Jesus também cometeu erros



mark

O professor de psicologia e blogueiro evangélico Warren Throckmorton está acusando o conhecido pastor Mark Driscoll, da Mars Hill Church de Seattle, de ter apagado “parte do sermão questionável”.
Em uma mensagem recente, chamada “Capacitado pelo Espírito para falhar”, Driscoll pregou cerca de 6 minutos sobre o que ele mesmo classificou como possível heresia. O material original tem cerca de 57 minutos de duração, mas Throckmorton conseguiu cópia de um trecho omitido pelo site oficial da igreja.
Semanalmente os sermões de Driscoll são disponibilizados na íntegra em vídeo, áudio e texto através do site da igreja. Desta vez, parece que membros da direção da igreja teriam concordado com a edição que foi disponibilizada para o público.
A questão é uma fala do pastor sobre o fato de Jesus Cristo, sendo homem, ter cometido erros. Embora faça uma distinção entre “erros” e “pecados”, Throckmorton afirma que o que está em questão é a integridade doensinamento de Driscoll. Recentemente, o conhecido pastor esteve envolvido em uma grande polêmica por ter fraudado os rankings de livros mais vendidos no país para promover suas obras e entrar na lista de best sellers do jornal New York Times.
Ele falava sobre o trecho de Atos 6, quando os apóstolos erraram ao não dar a mesma atenção para aos necessitados gregos da igreja que destinavam aos judeus. O argumento do pastor era que Cristo não deve ter feito tudo corretamente na primeira tentativa (ou seja, Jesus cometeu erros, mas nunca pecou).
Ele introduz a argumentação com uma frase que chama atenção “O que eu vou dizer a vocês agora pode ser uma heresia. Não tenho certeza. Vamos ver…. Jesus nunca pecou, verdade? Bom, vocês foram bem ensinados, eu acho. Ok, Ele nunca violou qualquer mandamento da Bíblia, mas a questão é… estão prontos? É possível que tenha cometido erros?”
Citando o livro de Lucas, lembrou que Cristo “crescia em sabedoria, estatura e graça diante de homens e de Deus”, e que isso significava que Jesus passou por um processo de aprendizado e isso inclui erros. A guisa de ilustração, descreveu como teria sido a infância de Jesus. Elaborou como Cristo, enquanto criança, tinha dificuldades iguais a de todas as crianças.
E elencou: Jesus não conseguia andar de bicicleta sem rodinhas na primeira vez que tentou. Também não conseguiu escrever corretamente da primeira vez quando aprendia algo nas escola, precisando apagar e corrigir. Por fim, levantou a hipótese de que ele não era um arremessador perfeito no time de beisebol da escola, perdendo algumas bolas.
Obviamente os exemplos de Driscoll serviam para fortalecer seu argumento usando elementos contemporâneos. Para Throckmorton, o grande problema é a influência que o pastor da Mars Hill tem sobre os evangélicos jovens em todo o mundo, uma vez que seus vídeos são muito divulgados pela internet.
Para seus críticos, Driscoll errou ao tentar usar possíveis erros de Jesus quando jovem como justificativa para os líderes errarem também. Essa seria uma maneira de Driscoll justificar seus próprios erros, atacando o que chamou de “perfeccionismo religioso” ao qual Cristo não estaria sujeito.
Throckmorton questiona duas coisas: 1) se Driscoll não tinha certeza e até mesmo considerou a possibilidade de estar ensinando heresia por que foi em frente? 2) Se considerava seu argumento correto, por que apagou posteriormente este trecho?
Obviamente um único trecho de uma das centenas mensagens não invalida a contribuição de Driscoll, mas o fato de Dave Kraft, um ex-pastor do ministério Mars Hill, que saiu recentemente por motivos não esclarecidos, estar criticando a postura de seu ex-chefe, questionando sua integridade, deixa no ar uma desconfortável suspeita. Com informações The Blaze e Patheos.
O vídeo com os 6 minutos apagados por Driscoll pode ser visto abaixo (em inglês):
Fonte: Gospel Prime

Em Cristo,
Mário

domingo, 18 de maio de 2014

Deus Só Age em Milagres?


A Bíblia nos ensina com clareza que Deus age neste mundo de maneira indireta, dispondo das ações dos homens e dos eventos da história de maneira sábia e justa, para o cumprimento de seus propósitos. Isto fica claro nas circunstâncias que cercaram o nascimento de Jesus Cristo, conforme Lucas 2.

Fonte: O Tempora O Mores

domingo, 4 de maio de 2014

A censura é o início da perseguição

Fonte:http://estrangeira.wordpress.com/2014/05/03/a-censura-e-o-inicio-da-perseguicao/


blog16“O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons.” – Martin Luther King
No início desta semana tivemos a triste notícia de que o Ministro da Pesca e Bispo da Igreja Universal do Reino de Deus Marcelo Crivella havia acionado a Advocacia Geral da União, obrigando o blog humorístico cristão Genizah a retirar um artigo do ar. O mais interessante é que tal artigo foi embasado numareportagem da Revista IstoÉ (porém tal reportagem não foi censurada). E o mais incrível, os argumentos utilizados pelo judiciário foram baseados no Marco Civil da Internet.
Censura? Mas não nos gabamos de viver num “país democrático”?
Pois é. E não apenas censura, mas partindo de um altíssimo escalão do Governo. E pior ainda, vinda de alguém que se diz ministro do Evangelho (além de Ministro da Pesca). Ou seja, no vocabulário popular, uma “carteirada gospel”.
Não? Vejamos:
blog17O blog Genizah existe há anos, e há anos mantém uma linha editorial pautada na crítica a desvios doutrinários de líderes evangélicos, porém usando da sátira e da ironia em seus artigos. No “mundo secular” também temos críticos satíricos, como o José Simão, que escreve para o jornal Folha de São Paulo. Para usar de humor, pintam com pinceladas mais grossas as notícias e as personalidades retratadas, assim como um caricaturista faz (ampliando detalhes particulares de seus retratados, como um nariz mais proeminente ou, no caso da nossa Presidente, uma dentição avantajada). Isso é fazer humor, goste-se ou não disso.
Num dos artigos do José Simão (Folha de São Paulo de 13/11/2013), vemos o técnico de futebol Wanderley Luxemburgo sendo apelidado de Wanderley Luxemburro, o empresário Eike Batista de Eikex Fudidex, e nem a Presidente Dilma foi poupada, numa alusão de duplo sentido de que ela teria ido para o Peru para ver o Peru crescer. E estou citando apenas um artigo, sendo que há uns 3 ou 4 por semana.
blog18Já pensou se todo o mundo fosse processar todo humorista? Ou se todo o mundo fosse processar todo jornalista que escrevesse algo de que não se gostasse ou não se concordasse? Viveríamos um Estado de total censura do pensamento.
E foi isso o que aconteceu com o Genizah. Por fazer uma sátira de um fato amplamente noticiado na imprensa, foi alvo de um processo de alguém que se julga acima de tudo e de todos. E ainda bem que é “crente”, né?
Há umas duas semanas também sofremos censura, desta vez por parte do (im)Pastor Silas Malafaia. Através de uma empresa, solicitou ao Youtube a retirada de um vídeo no qual havia a comparação dos métodos usados por ele, Mike Murdock e Morris Cerullo na obtenção de ofertas em troca de bênçãos específicas. O vídeo agora só pode ser acessado pelo Vimeo, mas não sabemos até quando. Antes disso, no ano passado, esse (im)pastor já haviacensurado vários canais no Youtube por postarem um vídeo onde ele ameaça quem denuncia pastores ladrões de virem a sofrer grandes provações.
blog110O mais triste de tudo isso é que temos visto pouca manifestação, entre a blogosfera cristã, a respeito do que aconteceu. É certo que o blog Genizah não agrada a gregos e troianos ao mesmo tempo; muitos enxergam com reticência o uso do humor na defesa apologética. Mas, gostando ou não, é fato que o Genizah tem trabalhado a serviço da exposição das heresias em nosso meio, e que seu silêncio (pois desde o dia 28/04 deixaram de postar) está favorecendo ao mundo das trevas, que quer que suas podridões continuem escondidas do grande público evangélico. Ter alguém que trate com sarcasmo essas podridões, então, nem pensar!!!
É hora de todos nós, que nos dizemos anunciadores das Boas-Novas e defensores do Verdadeiro Evangelho, nos unirmos e não nos calarmos, enquanto os líderes heréticos deitam e rolam em nosso meio. Nesse ano teremos eleições, e sabemos que muitos dos que se dizem líderes gospel querem colocar no poder pessoas de sua confiança para que possam, nos próximos 4 ou 8 anos, manipular a situação a seu favor. E os governantes, temendo perder votos, farão todas as alianças possíveis com os líderes evangélicos, aprovando e desaprovando tudo o que eles desejarem.
blog111Coincidentemente ou não, estou nas páginas finais do livro 1968 – O ano que não terminou, de Zuenir Ventura. Nesse excelente livro são mostrados os acontecimentos que antecederam a implantação do Ato Institucional no. 5 (AI-5), que acabou com os direitos civis e permitiu a prisão, a tortura e os “desaparecimentos” daqueles que o governo militar julgavam uma ameaça simplesmente por terem uma ideologia ou pensamento diferente do grupo então dominante.
Aos poucos, parece que a coisa está se redesenhando. Mas o irônico e contraditório da coisa é que os personagens estão mudando de lugar. Quem hoje quer censurar, nos anos 60-70 lutava nas trincheiras adversárias, lutando CONTRA a censura. Embora irônica e contraditória, essa mudança de trincheiras apenas nos mostra aquilo que é óbvio, mas que não é agradável admitir: todos lutam pelo que lhes é interessante no momento. Se somos povo, lutamos pelos direitos que nos alcançam; se somos governo, lutamos para nos perpetuarmos no poder. Ou seja, como seres caídos que somos, enxergamos apenas nosso próprio Eu, e por isso seguir a Cristo é um caminho tão difícil e estreito, pois exige que matemos nosso Eu em prol de vivermos para Deus e para o próximo.
blog112Fica expresso nosso total repúdio a essa e a qualquer “carteirada gospel”. Quem não deve, não teme. Nem mesmo artigos de humor.
Que possamos viver num país verdadeiro democrático, onde discordar não é crime, mas simples manifestação do pensamento. Porém, mesmo se a perseguição vir (e ela inevitavelmente virá), que possamos ser revestidos por Ele com coragem e ousadia para continuar apregoando as Boas-Novas e expondo os lobos em pele de cordeiro.
“Filho do homem: Eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; e tu da minha boca ouvirás a palavra e avisá-los-ás da minha parte.
Quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás; e tu não o avisares, nem falares para avisar o ímpio acerca do seu mau caminho, para salvar a sua vida, aquele ímpio morrerá na sua iniqüidade, mas o seu sangue, da tua mão o requererei.
Mas, se avisares ao ímpio, e ele não se converter da sua impiedade e do seu mau caminho, ele morrerá na sua iniqüidade, mas tu livraste a tua alma.
Semelhantemente, quando o justo se desviar da sua justiça, e cometer a iniqüidade, e eu puser diante dele um tropeço, ele morrerá: porque tu não o avisaste, no seu pecado morrerá; e suas justiças, que tiver praticado, não serão lembradas, mas o seu sangue, da tua mão o requererei.
Mas, avisando tu o justo, para que não peque, e ele não pecar, certamente viverá; porque foi avisado; e tu livraste a tua alma.” -  Ezequiel 3:17-21
Voltemos ao Evangelho puro e simples,
O $how tem que parar!
blog19
Em Cristo,
Mário César de Abreu

Postagem em destaque

JESUS CRISTO, O GRANDE “EU SOU”

O evangelho de João prova, de forma cabal, a divindade de Jesus Cristo. Faz isso, usando dois expedientes. Primeiro, mostrando que ele t...