terça-feira, 24 de maio de 2011

MANIFESTO PRESBITERIANO SOBRE ABORTO E HOMOFOBIA





A IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL, diante do momento atual em que as forças organizadas da sociedade manifestam sua preocupação com a possibilidade da aprovação de leis que venham labutar contra a santidade da vida e a cercear a liberdade constitucional de expressão das igrejas brasileiras de todas as orientações, vem a público MANIFESTAR quanto à prática do aborto e a criminalização da homofobia.
I – Quanto à prática do ABORTO, a Igreja Presbiteriana do Brasil reconhece que muitos problemas são causados pela prática clandestina de abortos, causando a morte de muitas mulheres jovens e adultas. Todavia, entende que a legalização do aborto não solucionará o problema, pois o mesmo é causado basicamente pela falta de educação adequada na área sexual, a exploração do turismo sexual, a falta de controle da natalidade, a banalização da vida, a decadência dos valores morais e a desvalorização do casamento e da família.
Visto que: (1) Deus é o Criador de todas as coisas e, como tal, somente Ele tem direito sobre as nossas vidas; (2) ao ser formado o ovo (novo ser), este já está com todos os caracteres de um ser humano, e que existem diferenças marcantes entre a mulher e o feto; (3) os direitos da mulher não podem ser exercidos em detrimento dos direitos do novo ser; (4) o nascituro tem direitos assegurados pela Lei Civil brasileira, e sua morte não irá corrigir os males já causados no estupro e nem solucionará a maternidade ilegítima.
Por sua doutrina, regra de fé e prática, a Igreja Presbiteriana do Brasil MANIFESTA-SE contra a legalização do aborto, com exceção do aborto terapêutico, quando não houver outro meio de salvar a vida da gestante.
II – Quanto à chamada LEI DA HOMOFOBIA, que parte do princípio que toda manifestação contrária ao homossexualidade é homofóbica, e caracteriza como crime essas manifestações, a Igreja Presbiteriana do Brasil repudia a caracterização da expressão do ensino bíblico sobre o homossexualidade como sendo homofobia, ao mesmo tempo em que repudia qualquer forma de violência contra o ser humano criado à imagem de Deus, o que inclui homossexuais e quaisquer outros cidadãos.
Visto que: (1) a promulgação da nossa Carta Magna em 1988 já previa direitos e garantias individuais para todos os cidadãos brasileiros; (2) as medidas legais que surgiram visando beneficiar homossexuais, como o reconhecimento da sua união estável, a adoção por homossexuais, o direito patrimonial e a previsão de benefícios por parte do INSS foram tomadas buscando resolver casos concretos sem, contudo, observar o interesse público, o bem comum e a legislação pátria vigente; (3) a liberdade religiosa assegura a todo cidadão brasileiro a exposição de sua fé sem a interferência do Estado, sendo a este vedada a interferência nas formas de culto, na subvenção de quaisquer cultos e ainda na própria opção pela inexistência de fé e culto; (4) a liberdade de expressão, como direito individual e coletivo, corrobora com a mãe das liberdades, a liberdade de consciência, mantendo o Estado eqüidistante das manifestações cúlticas em todas as culturas e expressões religiosas do nosso País; (5) as Escrituras Sagradas, sobre as quais a Igreja Presbiteriana do Brasil firma suas crenças e práticas, ensinam que Deus criou a humanidade com uma diferenciação sexual (homem e mulher) e com propósitos heterossexuais específicos que envolvem o casamento, a unidade sexual e a procriação; e que Jesus Cristo ratificou esse entendimento ao dizer, “. . . desde o princípio da criação, Deus os fez homem e mulher” (Marcos 10.6); e que os apóstolos de Cristo entendiam quea prática homossexual era pecaminosa e contrária aos planos originais de Deus (Romanos 1.24-27; 1Coríntios 6:9-11).
Ante ao exposto, por sua doutrina, regra de fé e prática, a Igreja Presbiteriana do Brasil MANIFESTA-SE contra a aprovação da chamada lei da homofobia, por entender que ensinar e pregar contra a prática do homossexualidade não é homofobia, por entender que uma lei dessa natureza maximiza direitos a um determinado grupo de cidadãos, ao mesmo tempo em que minimiza, atrofia e falece direitos e princípios já determinados principalmente pela Carta Magna e pela Declaração Universal de Direitos Humanos; e por entender que tal lei interfere diretamente na liberdade e na missão das igrejas de todas orientações de falarem, pregarem e ensinarem sobre a conduta e o comportamento ético de todos, inclusive dos homossexuais.
Portanto, a Igreja Presbiteriana do Brasil não pode abrir mão do seu legítimo direito de expressar-se, em público e em privado, sobre todo e qualquer comportamento humano, no cumprimento de sua missão de anunciar o Evangelho, conclamando a todos ao arrependimento e à fé em Jesus Cristo.
Patrocínio, Minas Gerais, abril de 2007 AD.
Rev. Roberto Brasileiro
Presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil
A IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL, diante do momento atual em que as forças organizadas da sociedade manifestam sua preocupação com a possibilidade da aprovação de leis que venham labutar contra a santidade da vida e a cercear a liberdade constitucional de expressão das igrejas brasileiras de todas as orientações, vem a público MANIFESTAR quanto à prática do aborto e a criminalização da homofobia.

I – Quanto à prática do ABORTO, a Igreja Presbiteriana do Brasil reconhece que muitos problemas são causados pela prática clandestina de abortos, causando a morte de muitas mulheres jovens e adultas. Todavia, entende que a legalização do aborto não solucionará o problema, pois o mesmo é causado basicamente pela falta de educação adequada na área sexual, a exploração do turismo sexual, a falta de controle da natalidade, a banalização da vida, a decadência dos valores morais e a desvalorização do casamento e da família.

Visto que: (1) Deus é o Criador de todas as coisas e, como tal, somente Ele tem direito sobre as nossas vidas; (2) ao ser formado o ovo (novo ser), este já está com todos os caracteres de um ser humano, e que existem diferenças marcantes entre a mulher e o feto; (3) os direitos da mulher não podem ser exercidos em detrimento dos direitos do novo ser; (4) o nascituro tem direitos assegurados pela Lei Civil brasileira, e sua morte não irá corrigir os males já causados no estupro e nem solucionará a maternidade ilegítima.

Por sua doutrina, regra de fé e prática, a Igreja Presbiteriana do Brasil MANIFESTA-SE contra a legalização do aborto, com exceção do aborto terapêutico, quando não houver outro meio de salvar a vida da gestante.
II – Quanto à chamada LEI DA HOMOFOBIA, que parte do princípio que toda manifestação contrária ao homossexualidade é homofóbica, e caracteriza como crime essas manifestações, a Igreja Presbiteriana do Brasil repudia a caracterização da expressão do ensino bíblico sobre o homossexualidade como sendo homofobia, ao mesmo tempo em que repudia qualquer forma de violência contra o ser humano criado à imagem de Deus, o que inclui homossexuais e quaisquer outros cidadãos.

Visto que: (1) a promulgação da nossa Carta Magna em 1988 já previa direitos e garantias individuais para todos os cidadãos brasileiros; (2) as medidas legais que surgiram visando beneficiar homossexuais, como o reconhecimento da sua união estável, a adoção por homossexuais, o direito patrimonial e a previsão de benefícios por parte do INSS foram tomadas buscando resolver casos concretos sem, contudo, observar o interesse público, o bem comum e a legislação pátria vigente; (3) a liberdade religiosa assegura a todo cidadão brasileiro a exposição de sua fé sem a interferência do Estado, sendo a este vedada a interferência nas formas de culto, na subvenção de quaisquer cultos e ainda na própria opção pela inexistência de fé e culto; (4) a liberdade de expressão, como direito individual e coletivo, corrobora com a mãe das liberdades, a liberdade de consciência, mantendo o Estado eqüidistante das manifestações cúlticas em todas as culturas e expressões religiosas do nosso País; (5) as Escrituras Sagradas, sobre as quais a Igreja Presbiteriana do Brasil firma suas crenças e práticas, ensinam que Deus criou a humanidade com uma diferenciação sexual (homem e mulher) e com propósitos heterossexuais específicos que envolvem o casamento, a unidade sexual e a procriação; e que Jesus Cristo ratificou esse entendimento ao dizer, “. . . desde o princípio da criação, Deus os fez homem e mulher” (Marcos 10.6); e que os apóstolos de Cristo entendiam quea prática homossexual era pecaminosa e contrária aos planos originais de Deus (Romanos 1.24-27; 1Coríntios 6:9-11).

Ante ao exposto, por sua doutrina, regra de fé e prática, a Igreja Presbiteriana do Brasil MANIFESTA-SE contra a aprovação da chamada lei da homofobia, por entender que ensinar e pregar contra a prática do homossexualidade não é homofobia, por entender que uma lei dessa natureza maximiza direitos a um determinado grupo de cidadãos, ao mesmo tempo em que minimiza, atrofia e falece direitos e princípios já determinados principalmente pela Carta Magna e pela Declaração Universal de Direitos Humanos; e por entender que tal lei interfere diretamente na liberdade e na missão das igrejas de todas orientações de falarem, pregarem e ensinarem sobre a conduta e o comportamento ético de todos, inclusive dos homossexuais.
Portanto, a Igreja Presbiteriana do Brasil não pode abrir mão do seu legítimo direito de expressar-se, em público e em privado, sobre todo e qualquer comportamento humano, no cumprimento de sua missão de anunciar o Evangelho, conclamando a todos ao arrependimento e à fé em Jesus Cristo.

Patrocínio, Minas Gerais, abril de 2007 AD.

Rev. Roberto Brasileiro
Presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Transferência de unção: Mais uma heresia neopentecostal






Por Renato Vargens


No Brasil do Gospel, existem unções para todos os tipos de gosto. Unção do riso; unção apostólica; unção do cachorro; unção dos quatro seres viventes, unção do anjo; unção do tombo; unção da loucura, unção da águia e muito mais.


Pois é, pra piorar a situação esta gente transloucada tem pregado por aí que a tal da unção pode ser transferida mediante imposição de mãos. Ora, vamos combinar uma coisa? De que lugar do Novo Testamento esse pessoal tirou isso? quando foi que o Apóstolo Paulo ensinou que a unção e os dons espirituais podem ser transferidos? Ou ainda, em que momento Jesus orientou os seus discipulos a transferirem dons e unção?


Prezado amigo, de fato é impressionante a capacidade deste pessoal de inventar doutrinas ou até mesmo de forçar textos bíblicos levando por consequinte parte do povo de Deus ao engano.


O pastor Ricardo Ribeiro do Ministério Apostólico Atos 2 chegou a nomear 07 tipos de transferência de unção, os quais reproduzo abaixo:


1) Transferência por fim de ministério ou vida: Elias deixou a unção para Eliseu.
2) Transferência ainda em vida: Davi foi ungido enquanto Saul vivia. 1 Sm 16.1,2
3) Transferência partilhada a muitos: Moisés aos 70 – Nm 11.16,17 – RR Soares e os seus.
4) Transferência de unção modificada: Moisés (maravilhas) → Josué (guerreiro) Dt 34.9
5) Transferência da unção aperfeiçoada: Eliseu recebeu um upgrade da unção de Elias.
6) Transferência de unção em cascata: 1Tm 2.2 (Paulo → Timoteo → Homens fiéis e idôneos → Outros- Idoneo em grego é hikanos (adequado!)
7) Reintrodução da unção de outros tempos: Elias → João Batista (Mateus 11.14)


Caro leitor, ao ler tamanha aberração bem como ver alguns vídeos no Youtube sou tomado pelo mais profundo sentimento de indignação. Sinceramente não sei aonde vamos parar! Por favor, me responda sinceramente: o que fizeram com o evangelho de Cristo? O que fizeram com a sã doutrina? Confesso que estou pasmo com essa história de transferência de unção!


Meu irmão, esse não é e nunca foi o evangelho anunciado pelos apostólos. Antes pelo contrário, este é o evangelho que alguns dos evangélicos fabricaram! Infelizmente, a Igreja deixou de ser a comunidade da Palavra de Deus cuja fé se fundamenta nas Escrituras Sagradas, para ser a comunidade da pseudo-experiência, do dualismo, do misticismo e do neo-maniqueismo.


Ah, meu amigo, confesso que não aguento mais a efervescência da graça barata, o mercantilismo gospel, a banalização da fé. Não suporto mais, as loucuras e os atos proféticos feitos em nome de Deus, não suporto mais o aparecimento das mais diversas unções em nossos arraiais.


Chega! Basta! Quero viver e pregar o evangelho integral, quero ver uma igreja, santa, ética, justa e profética, quero ver uma igreja, que não se corrompe diante loucuras dessa era, quero ver uma igreja compromissada com a Palavra de Deus, fazendo dela sua única regra de fé.


Soli Deo Gloria!
FONTE :Púlipto Cristão

quarta-feira, 18 de maio de 2011

ESTANDO NO VERDADEIRO EVANGELHO,O MUNDO NOTA A NOSSA DIFERENÇA



"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim.Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia."(João 15 : 18,19)

 Amados,O SENHOR JESUS,prestes a se entregar por amor aos pecadores,esteve consolando e ainda ensinando os discípulos mesmo na eminente dor que passaria, e entre outros ensinamentos preciosos nos deixou esta sábia mensagem acima. Temos visto que nos dias atuais muitos se dizem evangélicos mas, poucos são realmente crentes que têm o temor de DEUS.
       
Meus queridos, "se o mundo tem amado o que é nosso" e não tem considerado como loucura a nossa pregação e o nosso viver _"Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus."  (I Coríntios 1 : 18- ,é por que estamos trilhando caminhos que não glorificam  ao  SENHOR. O mundo,infelizmente, tem adentrado às igrejas e trazido os seus costumes pecaminosos,o joio tem aumentado dentro dos nossos templos e no meio do povo de DEUS que desapercebido,têm acreditado que o mundo foi evangelizado de tal forma que é natural as pessoas que não professam a fé cristã,aproximarem se dos crentes e aprovarem nossa crença. Ledo engano,o mundo está cada dia pior e mesmo com a expansão do ensino do evangelho,muitos ainda não aceitam e se nos aprovam é porque nosso testemunho e prática da verdade estão precisando serem revistos,a igreja no Brasil e no mundo necessita de outra reforma.
A leitura e o estudo da Palavra foi trocado pelos ensinamentos de homens que falam mentiras e pregam um evangelho adulterado:"Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências,"  (II Pedro 3 : 3.Muitos têm ensinado a chamada "teologia da prosperidade" que fala em ofertar para receber em dobro ou até cem vezes mais,fazendo comércio das coisas de Deus e com os desinformados:"E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita."  (II Pedro 2 : 3).E como o verso acima diz:a sentença de condenação dos que tais coisas fazem não tarda.

É hora de acordarmos e voltarmos ao evangelho puro e simples que Jesus ensinou e que traz sim a prosperidade mas prosperidade no todo e não só no dinheiro e na medida certa e não nas riquezas fáceis.

      
    
 A pregação da verdade é que no mundo teremos aflições,mas temos que ter bom animo como nos ensinou JESUS pois ELE venceu o mundo e NELE somos mais que vencedores(João 16:33b),(Rom 8:37)

 O MESTRE também disse: vós sereis meus amigos,se fizerdes o que vos mando.(João 15:14).Temos que ensinar sobre a obediência,sobre o pecado e o arrependimento.

 Por que DEUS amou o mundo de tal maneira que deu seu FILHO unigênito,para que todo aquele que nele crê não pereça,mas tenha a vida eterna.(João3:16).
     
 Este é o verdadeiro evangelho que ensina que somente o que crê em JESUS não perece; Temos que pregar dentro de um discurso real que pode ser chamado de "duro" por muitos mas, é o Poder de DEUS para salvação de todo aquele que crê(Rm 1:16);o evangelho que mostra que a luz não tem comunhão com as trevas e que viver no pecado é ser filho do diabo e não de DEUS pois a Palavra diz que quem não nascer de novo,não tiver um encontro pessoal com JESUS e ter novidade de vida,não pode entrar no Reino de DEUS e nem experimentar a vida abundante que JESUS prometeu.(João 10); e o apóstolo João nos diz que somos feitos filhos de DEUS ao crer em CRISTO,ao recebe-lo como nosso Senhor e Salvador:"Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;"  (João 1 : 12).
   
Veja o que o Senhor Jesus disse:"Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu SENHOR. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa."  (João 15 : 20)

 Assim sendo,preguemos somente a verdade,pois podem nos perseguir ou guardar a nossa palavra,o que mostrará que estamos no caminho certo e glorificando ao SENHOR.

Em Cristo,
Mário César

sexta-feira, 6 de maio de 2011

UMA NOITE SE ABATE SOBRE O BRASIL


UMA NOITE SE ABATE SOBRE O BRASIL
Autor: Pr. Luiz Fernando




Ontem, 05/05/2011 o Supremo Tribunal reconheceu por unanimidade a união entre homossexuais. Essa reivindicação era antiga, mas ganhou força devido ao apoio maciço, das diversas mídias, dos formadores de opinião e do governo. Este governo injetou dinheiro publico nesse segmento social, sem consultar os contribuintes, haja vista, ter sido o primeiro país no mundo a patrocinar uma parada gay. O atual governo vem tentando impor, através da educação pública, a aceitação tácita do homossexualismo, com a desculpa que precisa acabar com discriminação sexual. Entra em áreas que pertencem às famílias. Ensinar o certo e o errado é dever dos pais e o estado, no máximo, corrige os desvios. O STF legaliza a união da perversidade com a crueldade. Perverso porque legaliza a imoralidade de muitos dentre poucos, ou seja, 2% da população. Dá direitos a uma minoria que tem como fundamento somente o desejo e nunca uma constituição. Desejos particulares, não se legalizam, mas se limitam. Homossexualidade é desejo de contato físico com outro do mesmo sexo, coisa que deve ser praticada dentro de quatro paredes e nunca resguardada por leis. Nas palavras do Rev. Wayne Perriman “O ato sexual é meramente um ato físico que é na maior parte das vezes expresso na privacidade do lar. Portanto, esse ato não deve ficar sob a proteção de leis de direitos civis. Seu devido lugar de proteção são as leis de privacidade, não leis de direitos civis. As leis deveriam ser criadas para desestimular condutas criminosas, não apoiar condutas sexuais privadas”. Se assim não for, necessário se faz criar leis que privilegiem pedófilos, tarados etc., pois, são desejos do mesmo jeito. A união de centenas de pedófilos somente aumenta a pedofilia, nunca a limita. Dizer que o amor foi valorizado e respeitado com esta aprovação do STF é no mínimo infantil. Amor não é sexo e sexo não é amor. Amor, na maioria das vezes não é expresso através de sexo. Pais amam seus filhos, mas não mantêm relações sexuais com eles. Soldados morrem por seus companheiros, mas não têm relações sexuais com os mesmos.




Crueldade porque encarcerará milhares de seres humanos que poderiam lutar contra esses desejos e agora são desestimulados porque gozam da proteção do estado. Temos a triste tendência de achar que aquilo que é legal é moral. Crueldade porque impinge sobre a sociedade um comportamento que a maioria esmagadora não aceita e nem deseja. Usou-se de um subterfúgio para se aprovar uma lei que deveria ter sido discutida publicamente porque implica em usos e costumes. Nao é uso e costume da maioria a prática homossexual. Não se usa lei para impor comportamento de minorias. Vale a máxima: “A necessidade de poucos não pode prevalecer sobre a de muitos”. Todo ser humano independentemente de sua opção sexual deve ser respeitado e amado, mas não implica em concordância plena com tudo o que é praticado.


A sensação que tive, em meu espírito, é que o país mergulha em uma noite de densas trevas. Pareceu-me que um manto negro foi colocado sobre o país. Noite que não passará rapidamente. Minha percepção é que a sociedade ficou enfraquecida em sua fibra moral e que muitos se sentirão impotentes e desestimulados para continuar.


A igreja no Brasil sofre um duro golpe que será difícil de ser absorvido. Vejo-a no corner da vida tentando se reabilitar, cambaleante e atordoada buscando ar para respirar como em uma luta de boxe. Foi-lhe dada oportunidade de fazer valer os princípios de Deus para o homem, mas ela sucumbiu aos apelos de Mamon, da imoralidade e por fim se vendeu ao mundo. Descaracterizou-se completamente fazendo-se parecer com o mundo e agora não tem forças para mudar e não encontra motivos para voltar. Creio que ela foi longe demais e colherá com lágrimas os frutos dessa lassidão. Sua mensagem tem se tornado em irrelevância e seu valor seriamente questionado. Trancafiou-se dentro de suas paredes, achando que somente a adoração era a resposta às grandes questões da vida. Esqueceu-se de anunciar o puro evangelho transformador. Esqueceu-se da humildade e aceitou as honras do mundo e os prêmios dos tolos. Gerou pequenos monstros gospel, chamados de adoradores, levitas, paipóstolos, patriarcas, barbies e kens gospel etc. que comercializam o sagrado, deturpam o evangelho e recebem toda glória que não lhes é devida. Entrou em um sono letárgico e acreditando que sonhava os sonhos de Deus e em seu estupor não percebeu que vivia um grande pesadelo. Creio que ainda não acordou para a grande calamidade que dinamitou suas portas e adentrou em sua intimidade. Agora desnuda acordará em meio a esta noite e tateando tentará encontrar ponto de apoio.


Percebo o mundo espiritual em reboliço e ao mesmo tempo a igreja inócua e indiferente a tudo isso. Por sermos mais de quarenta milhões de evangélicos no país o percentual que levantou a bandeira de alerta foi ínfimo. Quem detinha o poder da mídia se omitiu vergonhosamente. Em nome de uma neutralidade idiotia deixou de cumprir seu papel profético em tempos de angústia. Colocar tranca na porta neste momento é inócuo. Resta-nos o sabor da derrota neste round. Resta-nos a triste constatação que falhamos. Restam-nos o choro e o arrependimento. Tomará que isso ocorra em tempo oportuno.


Ainda vale a Palavra de Deus expressa em II Crônicas 7:14 “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra”.

Embora o texto seja aplicado a Israel em uma condição específica, vale seu princípio para todos nós.




Quem o Senhor tenha misericórdia de nós.

Soli Deo Gloria



Pr. Luiz Fernando R. de Souza

FONTE: MINISTÉRIO FONTE PARA VIVER

terça-feira, 3 de maio de 2011

"Atos Proféticos"




Autor : Pr. Renato Vargens Publicado em : Terça, 13/07/2010(a foto foi Complemento meu;Mário)


Apesar de alguns evangélicos afirmarem que o Brasil experimenta um grande avivamento, vivemos dias extremamente complicados. Infelizmente a cada dia que passa, eis que surgem retumbante nesta terra tupiniquim devastadoras heresias.


Em Curitiba, um grupo de irmãos, liderado pelo pastor da igreja, entendeu que deveria demarcar seu território com urina, como fazem os leões e lobos. Após beberem muita água para encher bem a bexiga, seguiram para pontos estratégicos da cidade e passaram a URINAR decretando a vitória do Senhor. Numa cidade do norte do Estado do Rio de Janeiro, um pastor resolveu confrontar o “padroeiro” do município. Para tal, ele vestiu-se de branco, colocou uma coroa na cabeça, montou em um cavalo também branco, escreveu na sua coxa rei dos reis e adentrou as portas da cidade dizendo que a partir daquele instante o padroeiro daquele lugar não era mais são Jorge e sim Jesus Cristo.


O Ministério apostólico Libertador de Israel nos mostra outros tipos de atos proféticos:


- Cortar fios ou fitas, simbolizando a destruição de redes de tráfico e crime organizado.
- Quebrar botija, simbolizando a quebra de sistemas mundanos.
- Jogar flechas
- Sentar em torno de uma mesa, simbolizando a restauração familiar.
- Arrancar e plantar árvores, simbolizando retirada dos maus frutos e começo dos bons.
- Enterrar e desenterrar dinheiro, simbolizando arrancar os tesouros escondidos.
- Orar em frente a grandes bancos, ordenando a liberação financeira.
- Ungir em frente a locais de idolatria.
- Fincar estacas demarcando limites para conquista
- Dar sete voltas em torno de locais a serem conquistados.
- Rasgar papéis que simbolizam contratos espirituais.
- Marchas proféticas delimitando territórios.


Caro leitor, vamos combinar uma coisa? Esse povo ensandeceu! Eu não consigo imaginar Paulo e Pedro agindo desta maneira. Sinceramente eu não sei de onde esses caras tiram essas idéias! Ora, isso está mais para macumba do que para Cristianismo. Prezado amigo o evangelho de Cristo é simples (2 Co 11.3,4). Nossa missão é orar e jejuar, amar e estudar a Palavra de Deus, além de anunciar com intrepidez a mensagem da cruz ao mundo perdido (1 Co 1.18,22,23; 2.1-5). Nada além disso! 


Sem a menor sombra de dúvidas as praticas litúrgicas dos neopentecostais fazem-nos por um momento pensar que regressamos aos tenebrosos dias da idade média, onde o misticismo, a “mercantilização” da fé, bem como as manipulações religiosas por parte de pseudo-apóstolos, se mostram presentes. Confesso que não sei aonde vamos parar. Ao ler aberrações como as narradas acima, sinto-me profundamente inquieto com os rumos da igreja brasileira.


Isto posto, faço minhas as palavras do reformador alemão Martinho Lutero:


"Fiz uma aliança com Deus: que Ele não me mande visões, sonhos, nem mesmo anjos. Estou satisfeito com o dom das Escrituras Sagradas, que me dão instrução abundante e tudo oque preciso conhecer tanto para esta vida quanto para o que há de vir"


O reformador João Calvino costumava dizer que o verdadeiro conhecimento de Deus está na Bíblia, e de que ela é o escudo que nos protege do erro.


Em tempos difíceis como o nosso precisamos regressar à Palavra de Deus, fazendo dela nossa única regra de fé, prática e comportamento, até porque, somente assim conseguiremos corrigir as distorções evangélicas que tanto nos tem feito ruborizar.


Pense nisso!
FONTE:MINISTÉRIO CACP
ARTIGO PELO PASTOR RENATO VARGENS

segunda-feira, 2 de maio de 2011

GIDEÕES MERCENÁRIOS DA ULTIMA HORA-HERESIA POUCA É BOBAGEM




  




Por Leonardo Gonçalves


Foi ontem, num famigerado congresso pentecostal no sul do Brasil, renomado celeiro de heresias, que o tal pregador apelidado de “Bola”, profetizou a bênção financeira sobre a vida dos 29 ("otários") crentes que tivessem fé suficiente para ofertar 5 mil reais para ("o pastor")para a obra, sob promessa de uma grande bênção que chegaria em exatos 29 dias. Qual a razão do 29? Segundo o profeteiro de araque, Deus escolheu assim por tratar-se do vigésimo nono aniversário daquele congresso. Obviamente, não sou contra o recebimento de ofertas voluntárias para fins religiosos, mas, por favor: Deixem de picaretagem! Uma coisa é o recebimento de ofertas voluntárias, e outra bem diferente é colocar preço nas bênçãos de Deus.


Mas o que poderíamos esperar de um congresso que tem o marqueteiro Marco Feliciano, vendedor de consórcio em nome de Jesus e milagreiro de sete merréis como pregador principal? Só podia dar nisso mesmo!


Particularmente, não tenho estômago para acompanhar o que acontece nessa meca pentecostal. Seus pregadores nada mais são do que agiotas da fé. Pode ser que algum dia o foco do congresso tenha sido missões, salvação de almas, engrandecimento do reino de Deus... Hoje, porém, a realidade é outra. O púlpito já virou picadeiro, com direito a palhaços, e um grande time ilusionistas e malabaristas bíblicos que fazem acrobacia com os versículos, num ato de “exejegue” de matar o “Seu Creyssom” de inveja!


É por estas e outras que, quando me perguntaram o que eu acho do famigerado congresso da Meca dos pentecostais, respondi: “Se colocar lona, vira circo. Se cercar com muros, vira hospício. Se colocar grades, vira cadeia”.


"Em sua cobiça, tais mestres os explorarão com histórias que inventaram.
Há muito tempo a sua condenação paira sobre eles, e a sua destruição não tarda"
2 Pedro 2.3, NVI


FONTE:PÚLPITO CRISTÃO

Postagem em destaque

JESUS CRISTO, O GRANDE “EU SOU”

O evangelho de João prova, de forma cabal, a divindade de Jesus Cristo. Faz isso, usando dois expedientes. Primeiro, mostrando que ele t...