COMO MÚSICOS E MINISTROS DE LOUVOR ROUBAM A GLÓRIA DO DEUS VIVO


Por Giuliano Miotto

O livro de Isaías sempre me deixa assombrado por causa de algumas das mais incisivas passagens da Bíblia acerca da natureza de Deus e sobre a situação do povo. Já no começo, Isaías que era um profeta e um homem justo, estremece quando tem a visão do trono de Deus e dos Serafins com seis asas. Ele apenas exclama: “Ai de mim! Pois estou perdido; porque sou um homem de lábios impuros, e habito no meio de um povo de impuros lábios; os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos.” (Is 6:5)

Isso tudo é bastante significativo e é totalmente contrário ao clima de irreverência, ganância financeira e falsa intimidade que alguns músicos, “profetas”, líderes e, especialmente, os autodenominados ‘ministros’ de louvor têm demonstrado a respeito das supostas visões celestiais que alegam ter visto e em face das revelações tremendas de músicas, melodias, ministrações e palavras que têm aparentemente recebido de Deus.

Não posso julgar cada músico e dizer quem é de Deus e quem não é, muito menos posso dizer, sem conhecer todo o contexto da vida desses homens, quem tem recebido inspiração divina para compor, pregar, ministrar e cantar e quem está apenas utilizando o poder latente da alma para criar canções, palavras e ministrações para massagear a alma dos ouvintes, entretê-los e tirar uns bons trocados deles.

Mas posso, OUSADAMENTE, afirmar, com base Bíblica, que qualquer músico, profeta, ministro, pastor, líder, apóstolo, arcanjo ou seja lá qual o seu título ou ministério, QUE COBRE AO MENOS R$ 0,01 (HUM CENTAVO) POR SEU TRABALHO COMO “MINISTRO” ESTÁ TOTALMENTE EQUIVOCADO E, PIOR DO QUE ISSO, ESTÁ EM PECADO E ROUBANDO A GLÓRIA DE DEUS.

Parecem fortes as minhas palavras? Pois vamos então para a própria Palavra de Deus revelada aos homens e que vocês dizem seguir. Vejamos o seguinte texto do livro de Isaías:

“Assim diz Deus, o SENHOR, que criou os céus, e os estendeu, e espraiou a terra, e a tudo quanto produz; que dá a respiração ao povo que nela está, e o espírito aos que andam nela.

Eu, o SENHOR, te chamei em justiça, e te tomarei pela mão, e te guardarei, e te darei por aliança do povo, e para luz dos gentios. Para abrir os olhos dos cegos, para tirar da prisão os presos, e do cárcere os que jazem em trevas.

EU SOU O SENHOR; ESTE É O MEU NOME; A MINHA GLÓRIA, POIS, A OUTREM NÃO DAREI, nem o meu louvor às imagens de escultura.”(Cap. 42:5-8)

Veja que o texto é bastante claro a respeito do assunto, pois declara que tudo o que existe, até mesmo a nossa respiração vem como uma graça de Deus e que este JAMAIS DIVIDE A SUA GLÓRIA COM NINGUÉM!!!

Ora, com certeza muita gente que ler este artigo vai pensar naquela passagem onde se diz que o trabalhador é digno de seu salário para tentar justificar essas práticas abomináveis de cantores ‘góspeis’ que cobram cachês, valores para ir nas ‘igrejas’ ou vendem o CD para quem quer ouvir suas músicas. Sendo que a pior situação é daqueles que estão contratados por gravadoras sejam elas de cunho religioso ou secular, pois estas empresas existem apenas para explorar o “mercado gospel” e fazer comércio com a fé das pessoas.

Quero dizer, como advogado e conhecedor das leis, que direitos autorais são garantidos por lei e visam dar proteção aos criadores de obras artísticas, dentre outros. Mas direitos autorais são feitos para um mundo caído, que não glorifica a Deus como deve e para proteger (glorificar) aqueles que se julgam autores de suas obras.

Não sou contra os direitos autorais e nem acho que um cristão deva escutar músicas piratas, nem ler livros sem pagar por isso, já até escrevi sobre isso. Mas o que estou dizendo é que os artistas e autores do mundo “gospel” deveriam repensar suas práticas e pararem de roubar a glória de Deus para si. Deixem os direitos autorais para quem acha que fez alguma coisa de si mesmo.

Saiam dos palcos, púlpitos, das televisões, das rádios, das gravadores e comecem a praticar aquilo que Jesus ensinou: “E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus. Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai. Não possuais ouro, nem prata, nem cobre, em vossos cintos, Nem alforjes para o caminho, nem duas túnicas, nem alparcas, nem bordão; porque digno é o operário do seu alimento.” (Mateus 10:7-10)

Vejam que o trabalhador é digno apenas do salário (alimento) não de carros de luxo, ouro, prata, hotéis caros, jantares suntuosos e todas estas coisas, sobre as quais vem a devida condenação. Isso que você está fazendo muito provavelmente é o que está descrito em 2 Pedro 2, verso 3: “E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita.” Talvez você esteja já com raiva de mim e pensando: quem é este doido para me julgar? Saiba que eu não posso te julgar, mas a Palavra pode e sua alma pode estar irremediavelmente condenada e você achando que está fazendo a “obra”.
Esse assunto continua… E, por favor, não se ofenda se o texto disser respeito às suas práticas, apenas se arrependa e dobre-se diante da Palavra de Deus. Quanto a mim, pode dizer o que quiser. Tudo o que disse de músicos e ministros de louvor se aplica a pastores, apóstolos, líderes e toda corja de comerciantes da fé.

***

Giuliano Miotto é “apenas um conspirador. O menor de todos os santos”. Amigo, parceiro e blog e editor do Voz que clama na Net. Divulgação: Púlpito Cristão/Jesus é o Senhor
***
Em Cristo,
Mário César de Abreu

Comentários

  1. "Digno é o obreiro de seu Salário" meu amado irmão!
    Se não entendermos assim, que Paulo não esta falando de pagamento financeiro, ou de salário, então ele estaria se contradizendo ao que ele falou aos presbíteros da igreja de Éfeso, cinco anos atrás em Atos 20.34,35 “Sim, vós mesmos sabeis que para o que me era necessário a mim, e aos que estão comigo, estas mãos me serviram. Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber”.
    Em Filipenses 4 a partir do verso 15 Paulo também fala sobre receber bens materiais ou dinheiro:
    15 E bem sabeis também vós, ó filipenses, que, no princípio do evangelho, quando parti da Macedónia, nenhuma igreja comunicou comigo com respeito a dar e a receber, senão vós somente;
    16 Porque também uma e outra vez me mandastes o necessário a Tessalónica.
    17 Não que procure dádivas, mas procuro o fruto que abunde para a vossa conta.
    18 Mas bastante tenho recebido, e tenho abundância: cheio estou, depois que recebi de Epafrodito o que da vossa parte me foi enviado, como cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus.
    19 O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus.
    Claro que também sou contra cobrar quantias exorbitantes para pregar ou ministrar a Palavra cantada, e admiro muito cantores e compositores como Asaph Borba que veio em Portugal e não cobrou nada, vive de Ofertas, só que a oferta só deu pouco mais de 400 euros e se ele não tivesse, como tem patrocinadores no seu ministério de Louvor, como ficava para cobrir os bilhetes de avião dele e demais despesas??? Não sou contra que cobrem desde que o valor seja dígno, ele mesmo afirma isso em seu blogue, só que prefere ter ofertantes que o patrocinam por fora de quem o convida, e assim consegue satisfazer as igrejas mais pobres que não podem ofertar muito, usou sabedoria e assim pode pregar a todo tipo de igreja.
    Existe todo tipo de crente, Pastor, Músico na Igreja, não devemos por tudo num mesmo saco, pois está escrito que cada um dará conta de si mesmo a Deus! Não cabe a nós julga los e sim somente pregar o evangelho a toda criatura, pois a vontade do Criador é que todos venham ao conhecimento da verdade e se salvem! Deus te abençoe amado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro irmão,a Paz do Senhor!

      Em primeiro lugar quero deixar claro que o objetivo deste blog é duplo,enquanto faço apologética (defesa do evangélho),também evangelizo.
      Paulo mesmo fala sobre isso (defesa do evangélho) em Filipenses 1:16-17.

      Em segundo, quero mostrar que o mesmo Paulo falou muito sobre trabalho secular veja: "Porque, quando ainda convosco, vos ordenamos isto: se alguém não quer trabalhar, também não coma. Pois, de fato, estamos informados que, entre vós, há pessoas que andam desordenadamente, não trabalhando; antes, se intrometem na vida alheia. A elas, porém, determinamos e exortamos, no Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando tranqüilamente, comam o seu próprio pão" (2 Tessalonicenses 3:10-12); "Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado" (Efésios 4:28);"Contudo, vos exortamos, irmãos, a progredirdes cada vez mais e a diligenciardes por viver tranqüilamente, cuidar do que é vosso e trabalhar com as próprias mãos, como vos ordenamos; de modo que vos porteis com dignidade para com os de fora e nada venhais a precisar" (1 Tessalonicenses 4:10-12)...o que muitos querem é "lucrar" em cima do evangélho e não dedicar seu tempo à obra de Deus e trabalhar em outra coisa para obter sustento.

      Em terceiro,quero que os leitores e o irmão, prestem bem atenção ao texto e contexto de Atos 20.34,35 e percebam que Paulo está se referindo ao dinheiro que ganhou com o seu trabalho secular,a profissão de se fazer tendas, que na verdade, não consistia só construir tendas mas, em muitos outros serviços;olhe aqui outra passagem de Paulo falando que não queria ser pesado(ter custo em cima dos irmãos): "Eis aqui estou pronto para pela terceira vez ir ter convosco, e não vos serei pesado, pois que não busco o que é vosso, mas sim a vós: porque não devem os filhos entesourar para os pais, mas os pais para os filhos." (II Coríntios 12 : 14)

      Em quarto lugar,quanto aos Filipenses,Paulo era muito grato por que por duas vezes lhe enviaram ofertas usando de uma generosidade que outros não tiveram para com ele.

      Em quinto, quero dizer que o texto acima trata não de que o "obreiro não seja digno de seu salário" mas, que embora digno disso,ele precisa se enquadrar no que é justo;pastores tem que ter seu salário,e dependendo da igreja ou costume até usar uma "casa pastoral",não há nada de errado nisso,só não precisa ter mansões e carros blindados e até fazendas com o dinheiro da igreja e os cantores não poderiam cobrar somas de R$40.000,00 ou mais ou o irmão está "por fora" do que acontece no "mundo góspel" ?

      Em sexto lugar, quero dizer que o irmão ao invés de ficar "entrando em guerra alheia" como fez Josias: "E seus servos o tiraram do carro, e o levaram no segundo carro que tinha, e o trouxeram a Jerusalém; e morreu, e o sepultaram nos sepulcros de seus pais; e todo o Judá e Jerusalém prantearam a Josias." (II Crônicas 35 : 24),deveria então, fazer o que o irmão acredita ser a única função da igreja,evangelizar e deixar meu blog fazer o que Deus tem colocado em meu coração.

      Em Cristo,

      Mário César de Abreu

      Excluir

Postar um comentário

SINTA SE A VONTADE PARA COMENTAR

Postagens mais visitadas deste blog

AS NOVAS HERESIAS DE NEUZA ITIOKA

Governantes, ouçam a Palavra de Deus!