Se eu quisesse ganhar muito dinheiro...





Já me perguntaram se ganho muito dinheiro combatendo heresias e modismos. E alguns animadores de auditórios ou seus fãs têm sugerido que meu ganha-pão é verberar contra os "ungidos" do Senhor.

Ora, se quisesse ganhar muito dinheiro, eu pregaria heresias, e não as combateria, não é mesmo?

Se eu quisesse ganhar muito dinheiro, escreveria sobre autoajuda, e não sobre a ajuda do alto.

Se eu quisesse ganhar muito dinheiro, pregaria mensagens "simpáticas" que massageiam o ego dos crentes, e não mensagens "antipáticas" que incomodam as suas consciências.

Se eu quisesse ganhar muito dinheiro, priorizaria a fama e o dinheiro, amando-os e fazendo deles a minha maior motivação. Mas reflito muito sobre o que está escrito em Mateus 6.19-21 e 1 Tm 6.9,10.

Se eu quisesse ganhar muito dinheiro, pregaria o evangelho-show, e não e Evangelho da cruz.

Se eu quisesse ganhar muito dinheiro, faria amizade com políticos e procuraria ingressar na Câmara dos Deputados ou no Senado Federal, etc.

Se eu quisesse ganhar muito dinheiro, estipularia um cachê mínimo de R$ 1.000,00 por pregação ou R$ 3.000,00 para um fim de semana. Afinal, há muitas igrejas que aceitam esse tipo de exigência.

Se eu quisesse ganhar muito dinheiro, seria, com certeza, um dos proponentes da Teologia da Prosperidade. E me aliaria a todos os grandes "ungidos", especialmente os midiáticos, que só falam de dinheiro e assuntos afins. Mas estes sabem que não podem contar comigo...

Enfim, se eu quisesse ganhar muito dinheiro, me aliaria às celebridades gospel, e não aos defensores do Evangelho. Por graça de Deus, valorizo o dinheiro e preciso dele, mas não o priorizo. Minha motivação primacial é ter compromisso com a Palavra de Deus e com o Deus da Palavra.

Ciro Sanches Zibordi                                                                        BLOG DO CIRO
***
Em Cristo,
Mário César de Abreu

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AS NOVAS HERESIAS DE NEUZA ITIOKA

Governantes, ouçam a Palavra de Deus!

Um clamor pela intervenção de Deus