Mesmo crendo em Jesus preciso fazer oração de quebra de maldição?


Por: André Sanchez


Você pergunta: Estive afastado do Senhor por 10 anos, tive envolvimento com bebidas e drogas. Faz 8 meses que me reconciliei com Jesus, mas tenho dúvidas se preciso fazer oração de quebra de maldição por causa das coisas erradas com que me envolvi.

Caro leitor, é muito oportuna sua pergunta já que muitas pessoas têm passado pela mesma dúvida, principalmente por causa da falta de explicações bíblicas sérias de algumas igrejas aos seus fieis e também por causa de desvios doutrinários de muitas denominações em nosso tempo.



É preciso entender que quando você crê em Jesus você é selado pelo Espírito Santo da promessa (Efésios 1.13), é justificado pela redenção que há em Jesus (Romanos 3.24), é propriedade exclusiva de Deus (1 Pedro 2.9). Com isso quero demonstrar que a obra que Deus faz na vida do salvo é perfeita e eficaz, não necessitando qualquer “oração forte de libertação” que venha a “complementar” a obra de Deus na vida do salvo.

É verdade que mesmo o salvo, se não for vigilante e mantiver uma comunhão firme com o Senhor, pode dar ouvidos às tentações da carne e se enveredar por uma vida de pecado que não agrada a Deus, fato esse que aconteceu com você. Isso não é uma falha na obra de Deus, mas na forma negligente com que você encarou sua vida cristã.


Porém, a Palavra é clara quando diz que “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” (1 João 1.9). Ou seja, todas as maldições já foram quebradas plenamente por Cristo. O perdão dado por Deus diante do arrependimento é pleno, não necessitando sacrifícios, penitências e nem orações de quebra de maldição que venham a “complementar” a obra de Deus.

As igrejas que pregam que há a necessidade de que algum líder faça orações “de poder” para libertar crentes de maldições estão equivocadas. Elas deveriam ensinar o crente a manejar bem a Palavra de Deus a fim de estarem preparados para resistir aos seus inimigos, que são o mundo, a carne e o diabo. Deveriam ensinar também a suficiência da obra de Cristo, a fim de que os crentes sejam mais firmes em suas posturas e não vivam com “medinho” de tudo ao seu redor.

O que acontece na vida do convertido é o que a Bíblia chama de guerra entre a carne e o espírito (Gálatas 5. 17). Essa guerra acontece porque a pessoa que creu em Cristo agora foi morta para o pecado, mas o pecado não está morto. Ele tentará voltar para reaver essa pessoa para uma vida de novos pecados. A atitude dessa pessoa deve ser a de viver como “novo homem” (Efésios 4.24), buscando diariamente a santidade e a obediência a vontade de Deus.

Assim, quero concluir dizendo que não existe a mínima necessidade de que alguém faça oração de quebra de maldições. É desnecessário já que a obra de Cristo é perfeita e completa. O perdão dado por Deus mediante o arrependimento não precisa de complementações para ser pleno. O que deve haver é uma busca incessante em fazer a vontade de Deus e não da carne, em resistir às tentações do inimigo, em ser santo como Deus é Santo.

Como Paulo bem disse, a obra de Cristo em nossas vidas nos abre caminho para uma vida nova na presença de Deus: “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.” (2 Coríntios 5.17)
***
***
Em Cristo,
Mário

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AS NOVAS HERESIAS DE NEUZA ITIOKA

Um clamor pela intervenção de Deus

Governantes, ouçam a Palavra de Deus!