Eleições 2012: coalizão de líderes evangélicos dá explícito apoio à reeleição de Eduardo Paes, mesmo cientes que Paes está engajado em fazer do Rio o maior destino gay do mundo

Amados,este Silas Malafaia é "veiaco" mesmo não? leia a matéria!
Mario

Jornal inglês The Guardian diz que Rio pode ser a capital mundial do turismo homossexual

EDUARDO PAES E SILAS MALAFAIA

O atual prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), tem recebido o apoio de lideranças evangélicas para sua candidatura à reeleição. Até o momento o pastor Silas Malafaia e a Associação de Homens de Negócios do Evangelho Pleno (Adhonep) já se comprometeram em ajudar Paes, segundo a Folha de São Paulo. (…)

Ao se aproximar dos evangélicos o candidato peemedebista vai tentar enfraquecer os ataques que vai receber de seus adversários políticos: Rodrigo Maia (DEM) e Clarissa Garotinho (PR). Os candidatos pretendem usar o apoio dado pelo prefeito ao turismo gay na capital fluminense ao financiar publicidades sobre a Parada Gay no Brasil e no exterior.

Rodrigo e Clarissa são filhos de ex-prefeitos da Cidade Maravilhosa, César Maia e Antony Garotinho, respectivamente. Garotinho é evangélico e recebe apoio de outras lideranças, mas para se precaver de possíveis ataques políticos, Eduardo Paes conseguiu essas alianças importantes com pastores influentes.

A pesquisa Datafolha realizou uma pesquisa de intenções de voto entre os evangélicos e percebeu que, assim como no resultado geral, Eduardo Paes seria reeleito no primeiro turno com 54% dos votos.

COMENTÁRIO:

Eduardo Paes não tem medido esforço algum para que o Rio seja a capital mundial gay. Conforme publicou o Jornal britânico The Guardian, as políticas implementadas por Paes, voltadas aos gays, tem por fim tornar o Rio a maior referência mundial aos homossexuais.

Fonte: Gospel Prime (com adaptação de Holofote.Net) e editado pelo Editor deste Blog.
***
Cansado de ver a cara de pau do "Mala",
Mário César de Abreu

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AS NOVAS HERESIAS DE NEUZA ITIOKA

Governantes, ouçam a Palavra de Deus!